A estreia do novo programa da SIC, Super Nanny, representou uma subida nas audiências de domingo para o canal de Carnaxide, mas não foi suficiente para ultrapassar Masterchef, a principal aposta da TVI. O formato está a ser contestado por pôr em causa os direitos das crianças.

O formato, que começou com apenas 898 mil espectadores, esteve a subir do início ao fim e, quando acabou, já tinha 1 milhão e 214 mil pessoas sintonizadas. No confronto direto, a distância para o concurso da Quatro foi curta: 12,2% para Super Nanny e 12,5% para Masterchef Junior.

O programa, liderado pela psicóloga Teresa Paula Marques, está esta segunda-feira (15) a gerar polémica e discussão pública. A Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens (CNPDPCJ) veio defender que estão em causa o “direito à imagem” e da “reserva da vida privada” dos menores que participam.

Num comunicado, a CNPDPCJ afirma tratar-se “de um conteúdo manifestamente contrário ao superior interesse da criança, podendo produzir efeitos nefastos na sua personalidade, imediatos e a prazo“. A organização já efetuou um pedido de análise do conteúdo do programa à Entidade Reguladora da Comunicação Social (ERC).

A psicóloga que protagoniza o programa afirma não participar no formato “enquanto psicóloga” e defende que eventuais problemas de violação da privacidade e direitos das crianças “é um problema da SIC”, avança o site N-TV.

A nova aposta da estação liderada por Gabriela Sobral e Luís Proença foi ainda líder entre os públicos mais desejados pelo mercado publicitário, os chamados targets comerciais*, com 15,2% de audiência média e 30,1% de share.

* Os targets comerciais são considerados os mais importantes para o mercado publicitário e compreendem os espectadores das Classes A, B e C com idades entre os 25 e os 54 anos.