A sexta e última temporada de Nashville parece estar focada no tema da reinvenção, mostrando como os protagonistas, após cinco anos de reviravoltas amorosas e profissionais, podem voltar a encontrar-se a si mesmos. O novo episódio, intitulado Second Chances, estreou no canal CMT no dia 11 de janeiro.

Scarlett (Clare Bowen) e Gunnar (Sam Palladio) abrem o episódio, ao se cruzarem num mercado biológico mas decidindo não se falar. Pelos vistos, ambos continuam a conseguir aceitar a ausência um do outro, mas ainda estão a tentar perceber o que isso significa para cada um a nível profissional.

Gunnar dedica o seu tempo a pequenos concertos na companhia dos melhores amigos, Will (Chris Carmack) e Avery (Jonathan Jackson). Já Scarlett começa a questionar o propósito da sua música, acreditando que ela tem uma plataforma através da qual pode fazer uma diferença na vida de certas pessoas.

Estes dois estão num estado tão exaustivo da sua relação que já não faz sentido imaginá-los juntos. No entanto, após cinco temporadas aos pés um do outro, também é difícil imaginar um futuro separado para cada um. Neste momento, parecem apenas uma dupla de gatinhos abandonados. Nem eles nem nós sabemos o que esperar.Nashville

Deacon (Charles Esten) e Jessie (Kaitlin Doubleday) decidem romper com a filosofia de “apenas amigos” e experimentar finalmente um jantar romântico. Após hesitações, dúvidas e conversas forçadas, a noite acaba num beijo.

Eu compreendo que nenhum deles esteja preparado para uma nova relação, embora a série já tenha deixado claro que eles são o próximo casal sensação. No entanto, passar um episódio inteiro a decidir se devem efetivamente jantar um com o outro foi apenas cansativo. Tanta pressão numa simples refeição.

Juliette (Hayden Panettiere) regressa à instituição de Darius (Josh Stamberg), a qual continua muito dúbia: será um culto? Uma nova religião? Um centro de autoajuda? O dia da protagonista envolve ajudar os restantes companheiros na reabilitação de uma casa. Segundo eles, ao darmos um pouco de nós próprios aos que mais necessitam, estamos a tirar um peso dos ombros e a descobrir o nosso poder interior.

Juliette parece gostar do desafio: faz novos amigos, sorri como já não fazia há muito tempo e acaba por passar a noite com eles. Embora isto signifique deixar a família temporariamente para trás, Juliette nunca foi conhecida por ter equilíbrio na sua família e surgia sempre um novo objetivo para substituir outro. Passinhos de bebé!

NOTA: 4/10