O Canal História estreia esta segunda-feira (8) um especial de investigação intitulado Stranger Files, que promete pôr a nu as conspirações que inspiraram a criação da série Stranger Things.

A produção da Netflix usa como referência para o seu enredo os projetos MKUltra e Montauk, que teriam servido para várias experiências de controlo mental e viagens no tempo. É esse tipo de projetos e o seu desenvolvimento que estarão em foco.

Durante duas horas, Stranger Files vai analisar e relatar as investigações de Barry Eisler, antigo agente da CIA, do jornalista Steve Volk e do realizador Chris Garetanto, demonstrando as mitologias, conspirações e acusações que envolvem a base da Força Aérea dos Estados Unidos conhecida como Camp Hero, em Montauk, Long Island.

Stranger Files / Stranger Things

Fotografia: Canal História / Divulgação

De acordo com o governo, estas “instalações correspondem a uma base militar encerrada que anteriormente protegia os americanos“, mas há várias décadas que há “rumores infindáveis que defendem que entre as robustas paredes de cimento da base, jazem os vestígios de uma profunda conspiração governamental“.

Lê também: Televisão brasileira emite ‘noticiário’ com acontecimentos de Stranger Things

O Canal História refere ser “do conhecimento geral que após a Segunda Guerra Mundial o governo dos EUA envolveu-se num padrão de ações encobertas com experiências aos seus próprios cidadãos em programas como Tuskegee Experiments e MK Ultra“. E questiona: “Será Camp Hero – com os seus rumores de experiências de controlo, testes com ácido, rapto de crianças e viagens no tempo –, outro exemplo de secretismo? E até que ponto foram essas experiências?

Stranger Files promete revelar a verdade sobre Stranger Things esta segunda (8) às 22h45.