Big Little Lies venceu quatro galardões na edição dos Golden Globes deste domingo (7). A aclamada série do canal HBO recebeu as honras em todas as categorias em que estava nomeada. The Handmaid’s Tale levou para casa um dos primeiros prémios da noite: melhor série dramática.

Como tínhamos previsto, Big Little Lies triunfou nas várias categorias em que estava indicada. Apesar de não poder ser mais considerada uma limited series — há uma segunda temporada confirmada — a produção venceu na categoria de melhor limited series ou telefilme. Nicole Kidman ganhou o globo dourado para a melhor atuação feminina numa limited series. Laura DernAlexander Skarsgard foram os nomes vencedores nas categorias secundárias.

A vitória de Kidman marca o quarto sucesso da atriz na cerimónia. O último prémio que venceu foi em 2002, com o seu retrato de Virginia Woolf no filme As Horas. A vencedora da Academia agradeceu às suas colegas de elenco, valorizou o “poder das mulheres” e aproveitou a oportunidade para falar sobre um assunto muito próximo de Celeste, a personagem a que deu vida em Big Little Lies.

“Esta personagem representa algo que está no centro da discussão recente: o assédio. Acredito e tenho esperança em conseguirmos motivar a mudança, através das histórias que contamos e da forma como as narramos.”

Reese Whiterspoon, que corria na mesma categoria que Kidman para a melhor atuação feminina, sublinhou a mesma nota quando o elenco aceitou o prémio de melhor limited seriesEste programa centra-se na vida que mostramos ao mundo, que pode ser muito diferente daquela que vivemos entre quatro paredes, explicou. Queremos agradecer a todas as pessoas que quebraram o silêncio este ano e que denunciaram o abuso e o assédio.

The Handmaid’s Tale promete manter-se “parte da resistência

O programa-êxito da Hulu venceu dois prémios importantes da noite: melhor série dramática e melhor atriz numa série dramática. Ao receber o globo de melhor atuação feminina, Elisabeth Moss homenageou os ativistas do movimento Time’s Up, que foi fundado como resposta ao efeito Weinstein.

A atriz aceitou o segundo globo da carreira com uma citação de Margaret Atwood, autora de The Handmaid’s Tale“Éramos as pessoas que não estavam nos jornais. Vivíamos nos espaços em branco nas margens. Isso deu-nos maior liberdade. Vivíamos nos espaços entre as histórias”, citou. “Já não vivemos nas margens brancas. Já não vivemos nos buracos entre as histórias. Somos as histórias impressas, e somos nós que as escrevemos”, conclui.

Lê mais: Golden Globes 2018: os vencedores

Nos bastidores da cerimónia, Warren Littlefield afirmou: “Muitas das vezes gostávamos de não ser tão relevantes como somos. Quando iniciámos a produção, o mundo… não era o mundo de Trump. Durante a primeira temporada a realidade mudou, e todos os dias somos lembrados daquilo que carregamos connosco.” Temos a responsabilidade de honrar a visão de Margaret Atwood e de sermos parte da resistência, acrescentou o produtor executivo.

The Handmaid’s Tale saiu vencedora na corrida contra The Crown, Game of Thrones, Stranger Things e This Is Us.

Mais voz para as minorias

The Marvelous Mrs. Maisel venceu na categoria de melhor série de comédia. Rachel Brosnahan, a protagonista da comédia dramática da Amazon, foi galardoada com o melhor desempenho feminino no género.

A atriz, que foi nomeada para um Emmy pelo seu trabalho em House of Cards, defendeu a produção de mais histórias no feminino. “Esta é uma história sobre uma mulher corajosa, brilhante e complicada, e estou infinitamente orgulhosa de ter sido parte dela”, revelou. “Mas ainda há tantas histórias de mulheres que precisam de reconhecimento e que merecem ser contadas.

Sterling K. Brown conquistou o troféu de melhor ator numa série dramática, pelo seu papel em This Is Us. A sua vitória foi a primeira para um ator afro-americano na categoria. No seu discurso, Brown agradeceu ao criador da série da NBC, pela produção do papel inclusivo.

Escreveste um papel para um homem negro, que apenas podia ser retratado por um homem negro”, disse a Dan Fogelman. “Aquilo que valorizo mais nisto é que estou a ser visto por aquilo que sou, e apreciado por quem sou. Assim torna-se mais difícil desconsiderar-me, ou desconsiderar qualquer pessoa que se seja como eu”, agradeceu.

Nas restantes categorias televisivas, Aziz Ansari foi considerado o melhor ator pelo seu desempenho na comédia da Netflix Master of NoneEwan McGregor derrotou Jude Law, e o seu papel em The Young Pope, com o seu desempenho em Fargo.