Apesar das recentes críticas de Ridley Scott, parece existir uma versão alargada de Blade Runner 2049. No entanto, o realizador Denis Villeneuve já deixou claro que a mesma, com quatro horas de duração, não será vista por ninguém.

Blade Runner 2049 foi um dos filmes mais antecipados de 2017, isto porque a sequela do clássico de ficção científica de 1982 estava já a ser falada há vários anos. Com a nova longa-metragem, o realizador canadiano Denis Villeneuve presenteou o público com um filme de grande qualidade e que honra o original. Mas Blade Runner 2049 não gerou consenso, sobretudo entre o público.

O filme esteve longe de atingir o lucro de 400 milhões de dólares necessários para rentabilizar a sua produção, ficando-se pelos 258 milhões. Um dos fatores para os resultados de bilheteira pouco animadores parece ser a duração do filme, que atinge quase as três horas. Mas o editor de Blade Runner 2049, Joe Walker, revelou a existência de uma primeira versão que totalizava quatro horas. Villeneuve já reagiu também a esta informação.

Quatro horas e duas partes

Em entrevista ao site Provideo Coalition, em Outubro, Joe Walker fez interessantes revelações a respeito de Blade Runner 2049. Segundo Walker, a primeira montagem de Blade Runner 2049 tinha quatro horas de duração e estava dividida em duas partes. “O intervalo revelava algo sobre a história. Primeiro, o K descobre o seu verdadeiro passado, e a meio ele perde de certa forma a virgindade (risos). Na manhã seguinte, é uma história diferente, sobre conheceres o teu criador e fazeres o derradeiro sacrifício.”

Walker revelou ainda que a equipa ponderou dar até títulos diferentes às duas partes do filme. “Brincámos com essa ideia, mas acabámos por não o fazer. Mas o que resta é que todo o filme é como acordar de um sonho, há uma escolha muito deliberada em termos visuais e em termos do ritmo da história.”

Quanto ao processo de redução do tempo do filme, Walker fala no corte “de muito tecido de conexão e pontes. Cortámos o diálogo até ao mínimo aceitável. O resultado final é a versão certa, com tempo para vermos a alma das personagens.”

“Quando corto algo, está morto.”

Em entrevista ao site Screen Crush, na semana passada, o realizador canadiano confirmou a existência desta versão. “É verdade que a primeira montagem tinha quatro horas e nós pensamos «Vamos ao produtor e entregamos duas partes?» Mas digamos que a ideia acabou por não sair da sala de edição”, confirmou Villeneuve.

O realizador foi aliás peremptório: “Não, a melhor versão do filme é a que está nos cinemas. A questão é que a versão de quatro horas era bastante boa. Mas pessoalmente, prefiro a dos cinemas, é mais elegante. Mas a outra versão tinha algumas cenas que eram… bem, bem fortes.” Apesar disto, Villeneuve não escondeu a dificuldade no processo de refinação do filme: “É uma conversa estranha, até porque estamos a falar de Blade Runner. As pessoas querem saber se há outras versões. Mas uma versão de quatro horas era demasiado auto-indulgente.

Questionado sobre a possibilidade desta versão estar presente na edição Blu-Ray do filme, Villeneuve não deixou dúvidas: “Quando corto algo, está morto. Significa que não era bom o suficiente. Se algo vai parar ao chão da sala de montagem, acho que não deve ver a luz do dia. Não gosto de versões alargadas.

Agradar a Scott

Talvez os fãs não estejam contentes com esta notícia. No entanto, Ridley Scott, realizador de Blade Runner, poderá ficar agradado. Em entrevista recente ao site Vulture, Scott foi questionado sobre os resultados de bilheteira de Blade Runner 2049. O realizador disse ter de ser cuidadoso com as palavras, mas acabou por ser bem direto: “Foi demasiado longo! E a maior parte do argumento é meu. Eu sentei-me com os argumentistas durante muito tempo e não fico com o crédito, porque isso implicava utilizar um gravador enquanto conversamos. E não consigo fazer isso a um bom argumentista.

Blade Runner 2049 retoma a história do filme original de Scott, 30 anos depois. O protagonista é Ryan Gosling, que interpreta K, um novo Blade Runner em busca de Deckard (Harrison Ford), protagonista do filme original. O elenco é ainda composto por Jared Leto, Ana De Armas e Robin Wright.

Com ou sem versão alargada, Blade Runner 2049 está prestes a ser lançado em Blu-Ray. Talvez siga os passos do seu antecessor e adquira nesse circuito também um estatuto de culto.