Se em Portugal Velocidade Furiosa 8 venceu largamente a corrida para o filme mais visto do ano, no panorama internacional os resultados são diferentes. Os dados relativos às receitas globais, divulgadas pelo site Box Office Mojo, posicionam o remake em live-action da DisneyA Bela e o Monstro, no primeiro lugar da tabela com uma receita total de 1,048 mil milhões de euros. No segundo lugar surge o oitavo filme de saga Velocidade Furiosa, que é batido por uma diferença de cerca de 23 milhões de euros para o filme de Emma Watson.

A encerrar o top 3 encontramos Star Wars: Episódio VIII – Os Últimos Jedi. O filme atinge a proeza de se tornar no mais lucrativo de 2017 nos Estados Unidos, para além de também atingir o terceiro lugar do top mundial em apenas duas semanas. A terceira parte da série de animação Gru – O Maldisposto segue na quarta posição, destacando-se como o único filme de animação a figurar no primeiros quinze títulos da lista.

Fonte: Divulgação/NOS Audiovisuais

O muito aclamado Homem-Aranha: Regresso a Casa ocupa o quinto lugar, e surge sozinho nos primeiros 25 lugares relativamente a qualquer outra película da Sony. Wolf Warrior 2, uma produção chinesa, conquista o sexto lugar. Esta posição na lista surge sem grande surpresa, tendo a película conquistado, em agosto de 2017, o título de filme mais visto da história da República Popular da China (o segundo maior mercado de cinema do mundo).

Os super-heróis arrecadam as três posições seguintes, sendo Guardiões da Galáxia Vol.2Thor: Ragnarok Mulher-Maravilha, respectivamente, detentores de bilheteiras que provam o claro domínio deste género. Por fim, a mais recente sequela de Piratas das Caraíbas fecha o top 10, naquele que foi anunciado como o último filme da sequela. Mesmo assim, o projeto de Johnny Depp apresentou uma receita inferior face aos últimos três lançamentos da saga, tendo a quarta pior prestação do franchise em termos internacionais e a mais baixa receita nos Estados Unidos desde a sua estreia em 2003.

Fotografia: Divulgação

# Título Receita
1 A Bela e o Monstro  € 1,048,713,058.17
2 Velocidade Furiosa 8 € 1,025,672,775,13
3 Star Wars: Os Últimos Jedi € 876,795,136,32
4 Gru – O Maldisposto 3 € 857,804,010,70
5 Homem-Aranha: Regresso a Casa € 730,531,945,67
6 Wolf Warrior 2 € 722,363,586,93
7 Guardiões da Galáxia Vol.2 € 716,891,506,97
8 Thor: Ragnarok € 703,904,031,66
9 Mulher-Maravilha  € 682,126,856,11
10 Piratas das Caraíbas: Homens Mortos Não Contam Histórias € 659,729,327,56

Qual o significado destes números?

A mais óbvia constatação será precisamente que os resultados de 2017 não só comprovam o fenómeno que alimenta o cinema mundial – o das sequelas e remakes – como também o reforçam. Comparativamente ao ranking de 2016, o top 10 de 2017 contemplou sete sequelas (foram cinco em 2016) e dois remakes, fazendo de Mulher-Maravilha o único filme original a figurar nos primeiros lugares.

Em termos de mercado, o grande vencedor do ano foi uma vez mais a Walt Disney Studios Motion Pictures, distribuidora da The Walt Disney CompanyApesar de manter o seu lugar no topo da lista, a produtora reduz a sua percentagem de mercado dos 26,3% para os 21,2% (tendo apenas estreado oito filmes comparativamente aos 13 de 2016). No entanto, a sua margem deverá aumentar, resultado da recente aquisição do grupo 21st Century Fox (que conquista a quarta posição com 11,9% de share) por parte da Disney.

 (Fotografia: Disney)

O mais importante aspecto destes números será, no entanto, algo que se situa para lá da economia das bilheteiras. A Bela e o Monstro, Star Wars: Os Últimos Jedi Mulher-Maravilha figuram igualmente narrativas conduzidas por personagens femininas, sendo que se olharmos para os resultados das bilheteiras norte-americanas (na qual ocupam os três primeiros lugares) pode ser possível constatar um fenómeno sem precedentes nos últimos 37 anos. Este feito foi já comentado por Paul Dergarabedian, analista sénior na comScore, que afirma que “as mulheres emergiram realmente como os gigantes do cinema este ano“.

Enquanto Emma Watson lidera prontamente o live-action do filme de 1991, também Mulher-Maravilha estabeleceu um marco na história do cinema: é a primeira longa-metragem de super-heróis liderada por uma mulher em mais de uma década. Para além do movimento social que instigou, num reconhecimento a Patty Jenkins Gal Gadot, o filme é agora distinguido pelo seu desempenho comercial. De igual modo, Daisey Ridley voltou em Os Último Jedi para conquistar a bilheteira, após Star Wars: O Despertar da Força (2015) se ter tornado no filme com maior lucro global em 2015.

Lê também: 2017: Quem ganhou a corrida dos filmes mais vistos em Portugal?

Dados estatísticos obtidos através do Instituto do Cinema e do Audiovisual (Portugal) e do BoxOfficeMojo.com (Estados Unidos).