O passo decidido de Tieta, eternizada por Betty Faria no início dos anos 90, volta a entrar-nos pelo pequeno ecrã adentro. 

A Globo Portugal, disponível para os clientes da NOS, NOWO e Vodafone, anuncia o regresso da personagem a partir do dia 8 de janeiro, para ocupar o horário das 23h00. A trama, que bateu recordes de audiência no nosso país e gerou controvérsia pelos temas abordados na altura, é baseada em Tieta do Agreste, romance do escritor brasileiro Jorge Amado.

A ousadia invade o Nordeste

A história passa-se na cidade fictícia de Santana do Agreste, no Nordeste do Brasil, e a novela começa quando Tieta (Claudia Ohana) é escorraçada da cidade pelo pai, Zé Esteves (Sebastião Vasconcelos), irritado com o comportamento liberal da jovem e influenciado pelas intrigas da sua outra filha, Perpétua (Adriana Canabrava / Joana Fomm). Humilhada e abandonada pela família, Tieta segue para São Paulo, para fugir do conservadorismo da sua terra natal.

Vinte cinco anos depois, Tieta (Betty Faria) regressa. Está rica, exuberante e decidida a vingar-se de quem a maltratou. No dia da chegada está a ser rezada uma missa em sua memória. Interrompe a celebração, chama a atenção de todos na igreja e desfaz o mal-entendido. A rebelde está de volta e diz que veio para ficar.

A presença de Tieta acaba por mudar a rotina de toda a gente da cidade e aqueles que na juventude a condenaram, passam a cortejá-la, movidos pela sua fortuna e atraídos pela sua exuberância.

Fotografia: Globo / Divulgação

Além de terem de lidar com o regresso desta femme fatale, os habitantes de Santana terão de enfrentar a instalação de uma fábrica de dióxido de titânio na cidade, que, se por um lado traz desenvolvimento, por outro causa um forte impacto ambiental na região. Santana do Agreste, próxima das cidades de Aracaju e Salvador, estava parada no tempo até que Ascânio Trindade (Reginaldo Faria), surge com o objetivo de trazer o progresso ao local. Ele torna-se secretário da Prefeitura e, juntamente com Tieta, vai promover a modernização na cidade.

O argumento desta que é uma das histórias mais conhecidas da televisão brasileira é assinado por Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares.