O ChromeOS e os Chromebooks preparam-se para entrar com o pé direito em 2018. Arriscamos dizer que, com os primeiros passos dados pelo LUX, entrarão mesmo com os dois pés.

Parece que o Pixelbook da Google deixou “rasto”. A seguir-lhe as pisadas, poderá chegar ao mercado uma nova geração de portáteis híbridos e tablets com o sistema operativo da Google, o ChromeOS, e uma muito aguardada Chromebox. E é aí, nessa fornada de novidades, que entra o LUX.

A “concorrer” com outros possíveis equipamentos, com os nomes de código Nautilus e Soraka, pelo título de primeiro Chromebook híbrido, o suporte para o LUX foi adicionado ao repositório Chromium no dia 22 de dezembro. É neste repositório que é feito o desenvolvimento do ChromeOS e do Chromium, a versão de código aberto do Google Chrome, entre outros softwares desenvolvidos pela empresa.

Para já, as informações acerca deste Chromebook não são muitas: baseia-se numa motherboard de referência com o nome de código Poppy (de que pouco se sabe até ao momento), usa um processador da família Kaby Lake e tem um teclado recarregável. E está a ser maioritariamente desenvolvido por Nicolas Boichat, um membro importante da comunidade Chromium.

Com o réveillon a aproximar-se, resta-nos esperar que o lançamento de LUX seja uma daquelas resoluções de ano novo que, de facto, se realizam. É que o pouco que já se conhece sobre ele é o suficiente para nos deixar com água (ou, como manda a ocasião, champanhe) na boca.