No início do mês, Quentin Tarantino (Pulp Fiction, Sacanas Sem Lei e Django Libertado) surpreendeu fãs da saga Star Trek com o seu possível envolvimento num futuro filme. Agora, o projeto conta com outro argumentista de categoria: Mark L. Smith (The Revenant: O Renascido).

A história foi criada por Tarantino, que a planeia realizar, e será agora desenvolvida num argumento escrito por Smith. O plano é que o filme seja R-Rated, ou seja, ‘bolinha vermelha’. Esta é a pontuação dada a filmes para um público com mais de 17 anos, sendo que isto geralmente se deve a violência ou cenas demasiado explicitas. Até agora, todos os filmes do realizador tiveram esta pontuação, no entanto, tal será uma estreia para a saga Star Trek.

Não se sabe ainda nenhum detalhe da narrativa em si e o projeto ainda não tem uma data de estreia oficial. No entanto, Quentin Tarantino já demonstrou várias vezes ser fã ávido da série criada por Gene Roddenberry em 1966. Chegou mesmo a expressar publicamente a insatisfação com Além da Escuridão: Star Trek (2013) de J. J. Abrams. E sugeriu que futuros filmes poderiam adaptar episódios clássicos como The City on the Edge of Forever (1967).

Apesar de a maior parte das obras de Tarantino serem histórias originais, esta situação tem precedentes. Jackie Brown (1997), o seu terceiro filme, foi baseado no livro Rum Punch de Elmore Leonard. Além disso, chegou a planear realizar Casino Royale (2006), sendo que quando estava a desenvolver esse projeto a sua ideia era que o filme fosse a preto e branco e se passasse na década de 1960.

No entanto, o facto de o realizador não desenvolver o argumento na sua totalidade é mais raro. Até agora, todos os filmes que realizou foram escritos por ele mesmo. Além disso, é conhecido pelos seus argumentos repletos de diálogos. Por isso, será interessante ver a forma como o seu estilo se irá adequar a um guião de Mark L. Smith, cujo trabalho mais conhecido veio de um filme que se apoiava mais em visuais do que em diálogos.

Ainda não há confirmação se o projeto seja realmente produzido. No entanto, se a Paramount Pictures arriscar, o filme só será lançado após o lançamento da próxima obra de Tarantino, em 2019.