‘The Office’: De volta ao escritório mas sem Steve Carell

Já passaram quase cinco anos desde que uma das séries mais aclamadas da NBC terminou, deixando a programação televisiva um pouco mais vazia. Estamos a falar, claro, de The Office. Agora, podemos confortar as saudades com boas notícias, pois tudo aponta para o regresso da série, mais cedo do que o que podem esperar, mas avisamos: Não contem com Steve Carell.

À semelhança do que aconteceu com Will & Grace, a NBC tem planos para trazer de volta uma das suas séries favoritas: The Office. Apesar de ainda não estar oficialmente confirmado, o presidente da emissora norte-americana, Bob Greenblatt, afirmou numa entrevista realizada no verão passado que a hipótese do regresso a Scranton nunca foi rejeitada.

Mais recentemente, fontes revelaram à The Hollywood Reporter e à TV Line que, de facto, vem aí o regresso tão esperado da série, a estrear em 2019 ou até mesmo em 2018. Especula-se ainda que se deve esperar um elenco novo, à mistura com algumas caras já conhecidas de The Office.

A acrescentar, sabe-se ainda que um dos atores favoritos da série, Steve Carell, que abandonou a série na sétima temporada e cuja interpretação de Michael Scott lhe conquistou um Globo de Ouro por melhor ator numa série musical ou comédia televisiva, não vai participar neste comeback.'The Office': Elenco

Do escritório a estrelas

A série criada por Greg DanielsRicky Gervais e Stephen Merchant viu a sua versão norte-americana a estrear em 2005 e dominou os ecrãs de televisão durante oito anos, terminando em 2013, na nona temporada. Aclamada e vencedora de vários prémios, destacam-se cinco Emmys de entre 42 nomeações, levando Steve Carell, Rainn Wilson, John Krasinski, Jenna Fischer, Craig Robinson, Ellie Kemper Mindy Kaling, o elenco original da série, ao patamar de estrelas de televisão.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Manifestações EUA mundo
Opinião. O mundo num lugar estranho