Há presentes com assinatura portuguesa no Mercado do Campo Pequeno

Dezembro aproxima-se, as ruas enchem-se de luzes e o frio já se sente. É quase Natal. No Campo Pequeno, o ambiente, o cheiro e as decorações também não enganam: estamos no Mercado de Natal. Dos queijos aos doces, da roupa ao calçado, dos produtos artesanais aos biológicos, todos nos lembram que a época natalícia está aí à porta.

A sétima edição do Mercado de Natal do Campo Pequeno já começou. Até dia 3 de dezembro, este será um dos melhores locais da cidade de Lisboa para comprar produtos originais e criativos. Com mais de 100 expositores, não parece difícil encontrar um presente diferente para aquele amigo que já tem tudo.

Entramos pela porta principal e não precisamos de andar muito para querer parar no primeiro expositor: o do Licor 35: “Um creme que nasce da fusão do popular licor com o tradicional Pastel de Nata”. Não resistimos. Temos de provar. E adorar. O travo adocicado não esconde as origens deste sabor português.

Um mercado com assinatura portuguesa

Mas muitos mais sabores portugueses podem ser encontrados no Mercado de Natal. Não fosse esse o critério – a assinatura nacional – mais importante para estar presente na arena do Campo Pequeno por estes dias. Assim o explica António Dentinho, membro da organização, que reforça que o objetivo deste e de outros mercados organizados neste local passam sempre por divulgar o melhor do país: “Queremos ideias novas, portuguesas, com empreendedorismo”, explica, acrescentando que esta é uma boa oportunidade para as pessoas mostrarem os seus produtos e se darem a conhecer ao grande público.

A mostrar os seus cadernos está Carla Barata. Juntou-se em 2013 à irmã para criar a Casa d’Amendoeira, um projeto que começou por ser um atelier de encadernação, mas que hoje conta com uma vasta coleção de cadernos que a própria descreve como “vitorianos e vintage”. Nenhuma das irmãs é designer, por isso ilustram os cadernos com imagens da era vitoriana. As frases são escolhidas a dedo, para que os cadernos aliem “a técnica ao sentido de humor”. É esta a marca da Casa d’Amendoeira, que podemos encontrar pelos vários mercados e feiras de Lisboa.

O caderno mais pequeno da Casa D’Amendoeira

Quem também tem participado em mercados, embora com menos tempo de história, é a Inês Matos e a Cátia Diogo, com o My Wood Tailor. Começaram em julho deste ano, mas a paixão pelo artesanato fez Cátia abandonar a sua profissão como investigadora científica há 11 anos para se dedicar exclusivamente a trabalhar madeira para criar acessórios para animais (como comedores, camas, arranhadores) e artigos de decoração. Por estes dias vão estar na arena do Campo Pequeno a mostrar um pouco mais do que gostam de fazer.

Expositor do projeto My Wood Tailor

Como a Carla, a Inês ou a Cátia, mais uma centena de pessoas aproveitou a oportunidade para mostrar os seus projetos. Dispostas em círculos na arena do Campo Pequeno, umas mais tímidas que outras, todas desejam apresentar as suas ideias ao mundo. Algumas já conhecemos e estamos habituados a ver pelas feiras, como o Feliz é quem diz ou o Wish a bean. Outras podem ser uma novidade para alguns.

As plantas No’Ar também atraem curiosos. Ana Teixeira desmistifica a ideia: plantas que não têm raizes e por isso absorvem os nutrientes e a humidade do ar. A manuntenção é fácil e, com criatividade, podem ser boas formas de decoração. Levar a natureza para perto das pessoas é o sonho de Ana, que encontrou nas Tillandsias (assim se chamam estas plantas) uma forma de o concretizar.

Da comida ao calçado, variedade não falta

Este ano, o Mercado de Natal do Campo Pequeno conta com uma embaixadora, a Sofia Cotrim, que está presente com o seu projeto Mundo de Sofia. A apresentadora do programa da SIC Mulher com o mesmo nome não esconde o orgulho em ter sido convidade: “É um privilégio e um reconhecimento deste projeto, um prazer partilhar o espaço com todas estas marcas portuguesas”. Sofia está no Mercado de Natal com kits de costura, montagem e colagem, numa tentativa de incentivar as pessoas a fazerem os seus próprios projetos. “As mãos hoje em dia mexem em teclados, mas queremos voltar a usá-las em atividades de coordenação e criatividade”, conclui.

Estas e outras marcas originais e portuguesas podem ser descobertas por estes dias no Campo Pequeno. Desde calçado, roupa e acessórios (bijuteria, óculos de sol, mochilas), passando por produtos gourmet ou orgânicos,especiarias, quadros, sabonetes, até cadernos e jogos, a oferta é vasta e ideias para presentes de Natal criativos não faltam.

O Mercado de Natal vai estar aberto, das 11h30 às 21h30, até domingo, dia 3 de dezembro. A entrada custa 2€, mas 1€ pode ser deduzido em compras de valor igual ou superior a 8€.

 

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
RHCP
Red Hot Chili Peppers confirmados no NOS Alive 2021