Pedro Teixeira da Mota
Foto: página oficial de Pedro Teixeira da Mota no Facebook

Pedro Teixeira da Mota esgota três salas com ‘Impasse’

O novo espetáculo de stand-up de Pedro Teixeira da Mota esgotou três salas. O humorista de 23 anos subiu ao palco do Teatro Tivoli, em Lisboa, nos dias 14 e 15 de novembro. No passado sábado, Impasse foi até ao Hard Club, no Porto, e o Espalha-Factos esteve a assistir.

O espetáculo começou pouco depois das 22h00, mas a fila formou-se muito tempo antes. Amigos e casais de namorados esperaram ansiosos à porta da sala 2 do Hard Club. Não há lugares marcados e ninguém quer perder a oportunidade de ficar nas filas da frente.

Música dá início ao show de stand-up

No palco, pouco mais do que um banco e um microfone, mas é um piano que chama a atenção do público. Impasse começa assim mesmo. Com música. O público fica admirado com o talento musical do humorista e Pedro Teixeira da Mota brinca: “não, isto não é um concerto do Diogo Piçarra”.

As diferenças entre o Porto e Lisboa são o tema de partida e Pedro confessa que gosta de raparigas que digam asneiras, mas só no Porto. Em Lisboa, a conversa é outra.

“Estou ‘buéda’ contente de estar aqui”, continua. “Eu sinto que agora já sou um artista, estão a ver? Eu tenho um espetáculo, as pessoas vêm, abordam-me na rua”.

Uma hora e meia sem impasses

Impasse é um espetáculo egocêntrico, em que tudo gira à volta do jovem. Pedro Teixeira da Mota partilhou abordagens engraçadas de fãs na rua, falou da avó, das suas cinco dioptrias, da cara ‘standard’ e até de deitar sangue no nariz.

O humorista não esqueceu a interação com o público, que chegou mesmo a temer ser escolhido. Depois de se apelidar de “toupeira” pelo seu problema de visão, não resistiu a chamar “toupeira morta” a uma jovem da plateia com nove dioptrias. “Deixaram-te entrar? Vieste com o teu cão guia?”, brincou.

Discussões entre casais, a vida de solteiro, chegar a casa bêbado e os conselhos do primo mais velho foram alguns dos temas que fizeram rir a plateia. A viagem com amigos à Ásia, encontros com gunas e a expulsão do programa AFS, enquanto estudava no Minnesota, divertiram também os fãs que não deram pelo tempo passar.

Entre a adolescência e a vida adulta

Impasse durou assim uma hora e meia, o mesmo tempo que as gargalhadas. Três músicas ao piano intercalaram vários momentos do espetáculo e surpreenderam o público. Tanto que Pedro Teixeira da Mota adivinhou o que passou pela cabeça da audiência: “o puto canta?”.

Afinal, aos 23 anos, entre a adolescência e a vida adulta, tudo é um impasse e Pedro Teixeira da Mota mostrou exatamente isso. As suas experiências pessoais e pensamentos bizarros conquistaram o público que se riu de início a fim. Os movimentos e expressões do humorista não deixaram dúvidas: Pedro tem muito mais piada ao vivo.

Foto: divulgação

A opinião do público

Pedro Teixeira da Mota atrai sobretudo jovens, que se identificam com o seu humor e peripécias. Nenhum deles quis perder a oportunidade de tirar uma fotografia com o artista e o Espalha-Factos entrevistou alguns deles.

Inês Vieira viu o humorista pela primeira vez e confessou identificar-se muito com ele, provavelmente pela proximidade de idades. “Acho que ele tem um sentido de humor mais jovem, não é aquilo a que estamos habituados”, conta.

Quanto ao espetáculo, acha que foi parecido com o que está habituada a ver, principalmente o seu podcast semanal ask.tm. ”Eu adoro quando ele conta as histórias dele, mas gostei muito das associações que ele fez em relação ao Porto, em relação às pessoas de cá serem diferentes das de Lisboa”, acrescenta.

Maria Morais já acompanha o trabalho de Pedro Teixeira da Mota há algum tempo e não perde um ask.tm. Para ela, a interação com o público foi a parte mais engraçada. “Estou à espera que ele faça mais espetáculos e nos próximos também vou estar cá para ver”, confessa.

Para Diana Marinho, Pedro “tem muito mais piada” ao vivo do que nos vídeos e nos podcasts, pois “as expressões e os movimentos” fazem toda a diferença. Destaca a interação com o público, mas a sua parte favorita foi o “date com a rapariga guna”.

Rui Castro espera pela oportunidade de agradecer a Pedro Teixeira da Mota por ter vindo ao Porto. Considera que a comédia stand-up devia ser mais valorizada em Portugal, mas lembra que “artistas como o Pedro Teixeira da Mota estão a conseguir elevar esse grau”.

Maria Bernardes assistiu pela primeira vez a um espetáculo de stand-up comedy. Acompanha o trabalho do artista no Facebook, Instagram, Youtube e ouve todas as semanas o seu podcast. Para ela, a melhor parte do espetáculo foram também as “comparações entre Porto e Lisboa”.

Pedro Teixeira da Mota: uma jovem promessa

Para além dos espetáculos de stand-up, Pedro Teixeira da Mota tem um canal do Youtube com Luís Franco Bastos. Juntos apresentam o Erro Crasso, um programa humorístico que soma mais de 1.5 milhões de visualizações.

Em julho de 2017, Pedro criou também o seu podcast, ask.tm, que tem permanecido no topo dos podcasts mais ouvidos em Portugal.

A ideia de criar um espetáculo a solo foi um “processo natural”.

“Fiz a minha primeira atuação em 2014, gostei, fui treinando, fui-me focando nisso, atuando cada vez mais. Tenho neste momento 88 atuações. No fundo este solo é o meu best of destes 2/3 anos. E sinto que é no primeiro solo de stand-up que um humorista se torna num humorista a sério”.

Quanto à recetividade do público, Pedro considera que tem sido bastante positiva. “Consigo ver isso tanto nas pessoas que ficam no fim do show para tirar uma fotografia ou dizer qualquer coisa, como nas mensagens que recebi via Twitter e Instagram. Acho que quem gosta dos conteúdos que faço para a Internet vai gostar ainda mais ao vivo. É uma experiência completamente diferente”, explica.

O stand-up comedy em Portugal

Pedro Teixeira da Mota dedica-se à comédia a tempo inteiro há cerca de um ano e meio. Ainda assim, acredita que ainda há muito por conquistar. “Estou contente com o meu percurso até agora, mas falta-me chegar a muito mais pessoas – sinto que sou um fenómeno muito de Lisboa”, afirma o comediante que pretende estender a sua influência a várias zonas do país.

Saber que muitos dos seus seguidores assistiram a um espetáculo de stand-up comedy pela primeira vez deixou o humorista muito feliz.

“O Salvador e o Luís nestes últimos anos ajudaram muito para que isso acontecesse e a minha geração tem que estar grata por causa disso. (…) eles iniciaram assim de uma forma mais geral o conceito de ir a um teatro ver stand-up comedy e a minha geração/meu grupo (eu, Carlos Vilhena, Guilherme Gerinhas, Manel Cardoso) também têm feito um bom trabalho nesse aspeto”.

Pedro Teixeira da Mota ambiciona levar Impasse a outras salas do país. Se és fã do comediante e não conseguiste assistir, fica atento porque este é um espetáculo a não perder!

LÊ TAMBÉM: O QUEBRA-NOZES CHEGA AO COLISEU ESTE FIM DE SEMANA

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Manifestações
EUA. Imprensa acusa autoridades de ataques contra jornalistas