Eurovisão

Eurovisão Júnior: Quem são os pequenos talentos que disputam o prémio?

Portugal volta a disputar um Festival da Eurovisão. Este domingo (26) à tarde, em direto na RTP1, é a vez de Mariana Venâncio subir ao palco do Festival Eurovisão da Canção Júnior

A representante portuguesa foi escolhida através do programa Juniores de Portugal, sendo que a canção Youtuber foi selecionada internamente como aquela que representará o nosso país na competição. Mariana, a cantora, participou pela primeira vez num concurso televisivo.

A vitória portuguesa em maio, em Kiev, foi até agora o único triunfo luso em eventos eurovisivos. No Junior, no qual Portugal só participou em 2006 e 2007, nunca fomos além do penúltimo lugar.

Este ano, a competição voltará a ser renhida. Além de Portugal, há outros 15 países a lutar pela vitória em Tbilisi, na Geórgia. Mas quem são os opositores de Mariana?

Albânia: Ana Kodra – Don’t Touch My Tree (Mos Mav Prekni Premen)

Ana Kodra é um jovem talento albanês. É vencedora dos prémios de Melhor Voz e Melhor Canção no Festival Internacional Infantil, onde representou o país natal. Iniciou a carreira há dois anos, no formato italiano Tu Si Che Vales e contou participações noutros programas, como Little Genius e ainda um segundo lugar no Festival Infantil Nacional.

Apresenta-se no palco eurovisivo com Don’t Touch My Tree.

Antiga República Jugoslava da Macedónia: Mina Blažev – Dancing Through Life

Mina vai apresentar-se em palco com Dancing Through Life, uma música dançante (e bilingue) de Aleksandar Masevski, o mesmo autor da canção que representou a Macedónia na edição 2016. Participante no The Voice Kids macedónio, tem 14 anos e é natural da capital do país, Skopje.

Arménia: Misha – Boomerang

Da Arménia chega-nos um cantor com nove anos de vida e cinco de carreira. Começou a cantar aos quatro, no grupo Voices of Artsakh. Em 2016 ficou em segundo lugar na competição New Wave Junior, onde mostrou talento como violinista, baterista e pianista.

Austrália: Isabella Clarke – Speak Up

A Austrália também está no Festival Eurovisão Júnior e não está para brincadeiras. Speak Up é uma música competitiva cantada por Isabella Clarke, que nos últimos quatro anos esteve focada em melhorar os seus dotes vocais. Anteriormente teve uma carreira como dançarina e foi a vocalista principal do Victorian State Schools Spectacular.

Bielorrússia: Helena Meraai – I Am the One

Os sons eletrónicos dominam a participação bielorrussa, que este ano é assegurada por Helena Meraai, antiga integrante do grupo Ey’wa. O coletivo russo foi vencedor da competição New Wave Junior em 2016. A vocalista tem 14 anos e é membro da Academia de Música Popular Igor Krytoy, tendo já participado em vários concursos, como os Jovens Talentos da Bielorrússia e o The Voice Kids.

Chipre: Nicole Nicolaou – I Wanna Be A Star

Pintora e cantora, Nicole Nicolaou é também pianista. Depois de no ano passado ter vencido o Concerto Anual da Escola de Artes e Teatro de Limassol, agora representa o Chipre com uma canção bilingue chamada I Wanna Be A Star.

Geórgia: Grigol Kipshidze – Voice Of The Heart

É com uma balada clássica que Grigol, cantor de 12 anos natural da Geórgia, vai representar o país na Eurovisão. Antigo aluno da Escola Nacional de Folclore e da Escola de Artes de Tbilisi, está atualmente a estudar na Academia Vocal da capital geórgia. Foi finalista, em 2017, do Factor X.

Irlanda: Muireann McDonnell – Súile Glasa

A representante irlandesa foi uma das últimas a ser anunciadas, já no mês de novembro. Muireann McDonnell tem 11 anos e apresenta uma canção no idioma local, o irlandês, chamada Súile Glasa. Ou, em português, Olhos Verdes.

Itália: Maria Iside Fiore – Scelgo (My Choice)

Maria começou a carreira como dançarina num grupo chamado Danzabilmente, um coletivo que promove a integração de pessoas com deficiências através da dança. Em 2015, ela mudou o seu foco da dança para o canto devido ao incentivo de uma professora. Ficou entre os finalistas do Cantagiro 2016, uma competição italiana e vai agora apresentar-se em Tbilisi com uma canção bilingue: Scelgo (My Choice).

Malta: Gianluca Cilia – Dawra Tond

O concorrente maltês é o mais novo, e também um dos mais carismáticos, a participar na edição deste ano. Gianluca foi o vencedor do festival Oltroceano, em Itália e ainda do concurso maltês Arpeggio. É com swing e em duas línguas – inglês e maltês – que vai apresentar-se na Eurovisão.

Países Baixos: Fource – Love Me

Depois de uma girlsband em 2016, uma boysband em 2017. Os Fource, nome que combina o facto de serem quatro (Four) com a força que lhe foi dada pelos fãs, surgiram para participar no Festival Eurovisão da Canção Júnior e parecem a caminho de um início auspicioso.

Polónia: Alicja Rega – Moj Dom

A estudar música desde 2010, Alicja terá em Tbilisi a sua prova de fogo. Vencedora da categoria de melhor vocalista no programa Pequenos Gigantes polaco, foi a escolhida para cantar a balada tradicional Moj Dom na Eurovisão Junior.

Rússia: Polina Bogusevich – Wings

Vencedora na preferência dos jurados e televoto, Polina conquistou o direito a representar a Rússia com uma balada madura interpretada em inglês e russo. A intérprete de Wings foi uma das concorrentes do The Voice Kids na Rússia, tendo como mentor um vencedor eurovisivo: Dima Bilan.

Sérvia – Irina Brodic and Jana Paunovic – Ceo Svet Je Naš

Um dueto em servo-croata interpretado por Irina e Jana, ambas já vencedoras de concursos de talentos. A canção, totalmente interpretada na língua natal, diz que o mundo inteiro é delas.

Ucrânia: Anastasiya Baginska – Don’t Stop

A cantar desde os cinco anos, quando se inscreveu na Escola de Artes de Belotserkovsky, teve um primeiro grande triunfo quando foi a primeira ucraniana a ganhar, em 2014, o Children’s Slavianski Bazaar. Foi ainda participante no The Voice Kids Ucrânia, onde chegou ao segundo lugar. Consegue o apuramento para representar o país na Eurovisão à segunda tentativa. O ano passado ficou arredada da vitória por apenas três pontos.

Mais Artigos
Dia Mundial do Ambiente
Dia do Ambiente. Como as práticas inovadoras podem promover a sustentabilidade