Podia ser um anúncio de apelo à segurança para os ciclistas, mas é na realidade um rescaldo do espetáculo Acidente, que Mike El Nite apresentou ontem à noite, no Musicbox.

Há uns tempos, Mike El Nite, que já conhecemos de outras aventuras e que apela sempre ao Ride a Bike, teve um aparatoso acidente de bicicleta, à conta de um parafuso. Como metade da piada desta vida passa por não levar as coisas muito a sério, o Justiceiro marcou o seu regresso aos palcos com um espetáculo intitulado, claro está, Acidente, com a primeira parte a cargo de Genes.

O círculo no meio do público

“Conheci novas sensações, no meio do moche achaste que corria perigo, mas encontrei paz nos encontrões” é um dos versos da música Inspiradoras, do disco Pessoas, lançado por Genes este ano, o responsável pela primeira parte da noite.

Da Margem Sul para o Musicbox, Genes assumia o nervosismo sem vergonhas – mas preparado para aquecer bem o palco para Mike El Nite.

A desfiar temas como Oferecidas, Não Tenho Tempo ou Notívaga, por várias vezes Genes pediu para o público abrir um círculo à frente do palco, para, claro, se encontrar “paz nos encontrões”. Entre as músicas, havia tempo ainda para muita partilha com o público.

O Justiceiro já não anda de bike

Depois de Genes, seguiu-se, claro está Mike El Nite. E, se é para regressar aos palcos, é para regressar em modo so fresh and so clean, como diriam Outkast. Trocado por miúdos – com música nova, em que “prevenção, acidente, proteção, capacete” serve de refrão.

Quando alinhamos num concerto de Mike El Nite, já se sabe automaticamente que é melhor que se esteja preparado para alguma surpresa. Seja música nova ou convidados, há que surpreender.

Nesta noite, quase que havia uma linha a separar aquilo que é novo – uma sonoridade diferente da que se ouve em Justiceiro, mais suave até, com algum autotune à mistura – e aquilo que já nos é habitual ao ouvido, como os sucessos Santa Maria ou Oliude, por exemplo.

Karma, onde acompanha Cat Boto, Drones, com companhia de Lali marcaram presença. Como seria de esperar, a bem sucedida 2P não ficou de fora, na sua ode ao mundo dos videojogos – e não só. Numa espécie de regresso a uma fria sexta-feira 13 em janeiro, Nite chamava ao palco Nerve, para acompanhar na marcante Funeral.

Festa rija e áudio nos speakers: o resumo de uma T.U.G.A sempre bem ritmada, com palmas bem ensaiadas, quase ali a encerrar a noite. Afinal, desde o ano passado que se andam a ensaiar as alucinações e os tambores.

Para acabar a noite, todos os convidados em palco e o apelo claro: se é para andar de bike, nunca esquecer o capacete, “meus grandas putos”, como é apanágio de Mike El Nite.