A aclamada Handmaid’s Tale regressa com novos episódios durante o mês de abril, anuncia a Hulu. O dia de estreia ainda não é conhecido.

De acordo com um comunicado divulgado pela plataforma de streaming, a bem-sucedida adaptação terá uma temporada “formatada pela gravidez de Offred (Elisabeth Moss) e pela sua luta para libertar o bebé dos horrores distópicos da República de Gilead“.

Gilead está dentro de ti‘, costuma dizer a personagem Tia Lydia. Na segunda temporada, é anunciado que “Offred e as outras personagens vão lutar – ou sucumbir – a esta verdade obscura“.

Num teaser de 15 segundos divulgado esta terça-feira (14), o ambiente tenso dos novos episódios está bem patente.

Lê também: ‘The Handmaid’s Tale’ é uma distopia feminista fértil em relevância

A série é baseada no romance homónimo da autoria de Margaret Atwood, lançado em 1985, e passa-se na sequência de uma guerra civil. Depois dos momentos de pânico, uma fação católica toma o poder nos Estados Unidos e transforma o país na assustadora República de Gilead.

Naquele que é declarado como um intuito de “restauração da paz”, é instalada uma ditadura teocrática e autoritária que retira os direitos das minorias e das mulheres em prol da recuperação de maiores níveis de fertilidade, muito afetados pelas doenças sexualmente transmissíveis e pela degradação ambiental.

A infertilidade resulta no recrutamento das poucas mulheres fecundas que sobram, passando a ser servas (Handmaid). São então atribuídas às casas da elite governante, onde devem submeter-se a violações ritualizadas com os seus mestres masculinos, de modo a que consigam engravidar e produzir filhos para aquelas famílias inférteis.