Caitlyn Jenner, apresentada como a mulher transexual mais famosa do mundo, abriu as sessões da tarde na Altice Arena com uma conversa intimista sobre “a letra T em LGBT”.

“Transexualidade não é uma questão de sexualidade, é uma questão de género.”

“Quando é que souberam que eram raparigas?”.  Perguntou às mulheres da audiência. Perante as reações reflexivas, frisou que para uma mulher cisgénero, a sua identidade é tomada como garantida, enquanto que para uma pessoa transexual é um problema com que lidam todos os dias da sua vida.

“Transexualidade não é uma questão de sexualidade, é uma questão de identidade.” defendeu. E, para simplificá-lo, ilustrou-o comparando-a a ser-se esquerdino. Os esquerdinos são uma minoria e nas escolas são obrigados a usar as cadeiras com suporte para mão direita. Por isso, e falou na primeira pessoa, aprendem a usar a mão direita. Uma vez que começam a usar a mão que deviam, a esquerda, sentem-se livres, as palavras fluem mais facilmente. “É a melhor maneira de explicar o que é que é ser-se transexual.”

A conversa fluiu, evidenciando-se como uma das melhores comunicadoras que pisaram o palco nesta edição da Web Summit. Falou dos seus casamentos, a relação com os filhos e a forma como ia encarando a idade como um problema quando escondia a sua identidade.

“A minha vida era um inferno “

Segundo narrou, o ponto de viragem surgiu na altura em que se separou de Kris Jenner, a matriarca da família Kardashian e Jenner. “A minha vida era um inferno. Voltei a fazer terapia e pensei que tinha de fazer algo em relação a isto. O que faço e como faço?”

Começou por dizer que era transexual ao seu filho Brandon, a quem é mais chegada. “Sempre tive muito orgulho de te ter como pai (…) Eu nunca tive mais orgulho de ti do que neste momento.” respondeu-lhe Brandon. Gradualmente, Jenner contou ao resto da família, terminando por contar ao seu pastor. Nesse mesmo dia, à noite, concluiu “Deus fez isto por uma razão. Talvez nesta altura possa fazer uma diferença no mundo.”

As quatro palavras-chave para o sucesso

Para terminar, Caitlyn regressou às conferências que dava enquanto Bruce. Afirmando que na altura ensinava ao publico as quatro palavras-chave para o sucesso. Palavras que, segundo Jenner, continuam a fazer sentido: “Apostar, trair, mentir e roubar (em inglês mentir [lie] é palavra homógrafa de repousar)

“Okay, deixem-me explicar.” disse Jenner em reação aos risos da plateia que detetava alguma ironia. “Apostar, apostem nas melhores escolhas na vida e não tenham medo de correr riscos. Trair, traiam aqueles que vos querem mal e rodeiem-se de quem vos quer bem, assim serão campeões. Repousar, repousem nos braços de quem vos ama. Roubar, roubem todos os momentos de felicidade.”

O publico irrompeu em aplausos. Caitlyn agradeceu, deixando para trás uma arena que não lhe ficou indiferente.

Fotografia: João Marcelino