Lisboa Dance Festival regressa à cidade nos dias 9 e 10 de março de 2018, no Hub Criativo do Beato. Os primeiros passes para a terceira edição do festival esgotaram em menos de uma semana e já foram anunciados mais quatro artistas.

LÊ TAMBÉM: “LISBOA DANCE FESTIVAL JÁ TEM DATAS, NOVO ESPAÇO E PRIMEIROS NOMES INTERNACIONAIS”

Na semana passada, demos a conhecer todas as novidades deste festival música urbana que celebra a música eletrónica na cidade de Lisboa. A edição limitada de Passes Early Bird (20€) já se encontra esgotada.

A partir de hoje, os passes gerais estão à venda por 30€, também em edição limitada. Posteriormente, os preços dos passes que dão acesso aos dois dias de festival vão variar entre os 40€, 45€ e 50€ até ao evento. Os bilhetes diários têm o preço único de 30€ e também já se encontram disponíveis.

Mais artistas confirmados

Aos primeiros nomes avançados – NAO, Nosaj Thing, Joe Goddard, Midland e Saoirse – juntam-se agora os artistas Monoloc, Optimo, Mirror People Xinobi.

MONOLOC

DJ e produtor alemão, Monoloc é presença assídua nos melhores clubes e festivais da Europa (Melt, Fabric, Awakenings), tornando a sua passagem pelo Lisboa Dance Festival inevitável.

Reconhecido por produzir do mais sofisticado techno e house que se faz atualmente, dispõe de uma vasta discografia editada nas mais proeminentes labels do género – CLR, Hotflush e, mais recentemente, Dystopian, através da qual editou o aclamado EP The Untold Way.

Dupla de DJ formada por JD Twitch e JG Wilkes, reconhecida internacionalmente após a edição da colectânea How to Kill The Dj (part 2). Com mais de 20 anos de experiência, nos sets de Twitch e Wilkes não há regras quanto ao estilo ou género musical.

O seu extraordinário bom gosto e conhecimento musical permite-lhes mixar sons do passado e do presente, proporcionando uma experiência verdadeiramente futurista em espírito. A compilação Fabric 52 e a residência mensal na londrina NTS Radio ilustram bem o que vamos poder assistir no Lisboa Dance Festival 2018.

Mirror People surge no imaginário do português Rui Maia, seu mentor, durante uma tour com os X-Wife pela América. Projeto com um universo musical que junta influências da pop electrónica dos anos 80 com sons atuais da música de dança.

Depois do sucesso do álbum de estreia Voyager, um disco com várias colaborações, Rui Maia convidou o vocalista Jonny Abbey para gravarem juntos o seu sucessor. Bring The Light é o nome do segundo álbum de longa duração que os Mirror People vão apresentar no festival.

Xinobi é o projeto de Bruno Cardoso, um adulto de coração jovem obcecado por música. Faz parte de uma geração que cresceu dentro da erupção dos blogs de música, alimentada pela ética Do It Yourself. As suas influências são tão diferentes quanto a sua discografia, resultando em atuações ecléticas e versáteis: é essa a sua verdadeira marca.

Remixes, edits e reworks para artistas como SBTRKT, The Avener, John Grant, Toro Y Moi, Nicolas Jaar, Riva Starr, Agnes Obel e Kris Menace provam a habilidade de Xinobi para reorganizar música incrível em todo este universo. Fundador do selo Discotexas (a par com Moullinex), é hoje dos DJ portugueses mais conceituados.