Kenneth Branagh está ao leme da mais recente adaptação da obra de Agatha Christie. Um Crime no Expresso do Oriente traz-nos o britânico na cadeira de realizador, e como o protagonista Hercule Poirot. Mas Branagh faz-se acompanhar de um portentoso elenco que inclui Johnny DeppJudi Dench Penélope Cruz.

O luxuoso Expresso do Oriente é um meio de transporte privilegiado nos anos 30. A viagem é perturbada pelo homicídio de um financeiro americano. Os passageiros são de diferentes nacionalidades, e qualquer um é suspeito. Mas nem qualquer um resolve o mistério. Entre estes encontra-se Hercule Poirot, considerado o melhor detetive do mundo. E caberá a Poirot decifrar a identidade do assassino. Mas não restam dúvidas de que este se encontra a bordo.

A obra de Agatha Christie não é estranha a adaptações para os diferentes meios. Sidney Lumet inaugurou a tradição em 1974, mas o público recorda melhor David Suchet, na série da PBS, como Poirot. Agora é Kenneth Branagh no centro de nova adaptação. A obra de 1934 é das mais reconhecidas de Agatha Christie.

Habituado à tarefa

O inglês não é alheio a esta tarefa. Branagh já realizou e interpretou diversos filmes em simultâneo, tais como Mary Shelley’s Frankestein, Love Labour’s Lost e Jack Ryan: Shadow Recruit. Mas foi nas adaptações da obra de Shakespeare, como Hamlet e Henry V que o irlandês obteve mais reconhecimento. Branagh foi nomeado para os Oscares de Melhor Ator e Melhor Realizador pelo último.

A acompanhar o cineasta está um magnífico elenco, que inclui Daisy Ridley, Josh Gad, Michelle Pfeiffer e Willem Dafoe. Branagh e os membros mais sonantes do elenco já se encontram em plena promoção do filme. O talk-show de Graham Norton foi palco de alguns momentos hilariantes. Judi Dench revelou, por exemplo, a inesquecível partida que pregou ao realizador.

O filme, que tem ainda Ridley Scott como produtor já recebeu as primeiras críticas. No site Rotten Tomatoes, o filme atinge para já uma pontuação de 64%, provocando reações mistas por parte dos especialistas.

Peter Travers, da Rolling Stone, diz que a interpretação do protagonista sai ofuscada “pelo bigode postiço que usa” e que apesar de o filme proporcionar uma “viagem de luxo até ao passado“, o comboio “sai dos carris a partir do momento em que todas as personagens, à exceção de Poirot, deixam de interessar“.

No extremo oposto está a reação positiva da jornalista Leah Greenblatt. A repórter do Entertainment Weekly fala de um filme que é “exuberantemente antiquado“, que está “recheado de pérolas, monóculos e estrelas internacionais” e termina “a deixar um cheirinho a sequela“.

Um Crime no Expresso do Oriente tem estreia marcada para o nosso país esta quinta-feira (9).