Lisboa Dance Festival regressa à cidade nos dias 9 e 10 de março de 2018, mas desta vez num novo local. A terceira edição do festival de música urbana já conta com cinco confirmações internacionais.

O espaço

Depois de duas edições de sucesso no Lx Factory, onde o festival tem demonstrado uma visão vanguardista e ditado tendências, a sua terceira edição vai ter lugar num dos espaços mais efervescentes de Lisboa, o Hub Criativo do Beato.

O Hub Criativo do Beato era um antigo complexo fabril, situado na parte oriental de Lisboa. Durante a Guerra Colonial foi utilizado como centro de produção e armazenamento de bens alimentares para as Forças Armadas, atualmente propõe ser um dos maiores pólos de empreendedorismo e inovação na Europa.

Um ecossistema tecnológico-criativo com serviços diferenciados que vão desde a área do empreendedorismo (incubadoras, aceleradoras, coworks e investidores) às indústrias criativas (cinema, audiovisual e multimédia, publicidade e marketing digital, música, moda, arquitetura, design e arte urbana), não deixando de parte centros de investigação, de desenvolvimento e de competências.

O festival de música urbana pretende criar diferentes ambientes para receber os novos artistas, sempre tendo em mente a máxima do festival: um olhar 360º sobre a música electrónica.

Artistas confirmados

O cartaz do festival já conta com os artistas internacionais NAO, Nosaj Thing, Joe Goddard, Midland e Saoirse. Sabe mais sobre eles abaixo.

A britânica NAO revela inspiração em vários géneros musicais, todos eles enraizados com a dança. Vem a Portugal apresentar o projeto que tem estado a desenvolver e que, muito recentemente, desvendou através do primeiro single: Nostalgia. Da electrónica ao R&B, passando pelo funk, com um espantoso bom gosto e vibe.

 

É precisamente a vibe que distingue Nosaj Thing. Norte-americano de ascendência coreana, o produtor que já trabalhou com Kendrick Lamar, Chance the Rapper e Kid Cudi, apresenta-se agora em Lisboa com um espectáculo concetual que espelha o requinte do seu álbum Parallels. “Uum exercício de exploração e de procura de outros universos”, da electrónica, passando pela ambient music e hip hop”, uma relação total entre alma e máquina.

Joe Goddard também tem um currículo invejável de colaborações. O músico dos Hot Chip e 2 Bears já remisturou Kraftwerk, New Order, Disclosure, Dirty ProjectorsThe Chemical Brothers.

Já produziu também para Franz Ferdinand e Bernard Sumner, e recentemente esteve em tour com os LCD Soundsystem. Vem agora a Lisboa apresentar Electric Lines, o seu novo álbum, que representa um retrato panorâmico da sua carreira musical. Passando pelo house, techno e disco, até ao UK garage, R&Belectro-pop.

 

Midland é um DJ de house sempre em constantes aproximações ao funk e ao techno. Recentemente editou o clássico FabricLive94, que apresentando no reaberto Fabric London, casa-mãe que mais inspira a música electrónica na Europa.

 

Com a irlandesa Saoirse podemos ouvir um pouco de dub, ambient, house, jazz, electro, garage, techno e ainda algumas surpresas. Atualmente radicada em Londres e dona de uma extensa e diversificada discografia em vinil, a sua progressão musical foi recentemente premiada com um RA mix of the day.

Bilhetes

Os bilhetes já se encontram à venda nos locais habituais. Neste momento existe um passe early bird (edição limitada) que custa 20€ e dá acesso aos dois dias de festival. Posteriormente, o preço dos passes gerais vai variar entre 30€, 40€, 45€ e 50€ até ao evento. Os bilhetes diários têm o preço único de 30€ e também já se encontram disponíveis.