Os Loucos da Rua Mazur, romance vencedor do Prémio LeYa 2017, do escritor português João Pinto Coelho, chega às livrarias no dia 21 de novembro, pelas mãos da editora LeYa.

Aplaudido pela crítica pelas “qualidades de efabulação e verosimilhança em episódios de violência brutal com motivações ideológico-políticas e étnico-religiosas”, o livro de João Pinto Coelho tem como pano de fundo a Polónia durante a Segunda Guerra Mundial.

Yankel, um livreiro cego judeu, e Eryk, um escritor famoso cristão, são amigos de infância separados pela ocupação alemã. Estes reencontram-se, muitos anos depois, para relatar por escrito as vivências e protagonizar a narrativa com mais de 300 páginas sobre o Holocausto.

“Enquanto Yankel e Eryk mergulham no passado sob o olhar meticuloso de Vivienne – a editora que não diz tudo o que sabe -, virá ao de cima a história de uma cidade que esteve sempre no fio da navalha; uma cidade de cristãos e judeus, de sãos e de loucos, ocupada por soviéticos e alemães, onde um dia a barbárie correu à solta pelas ruas e nada voltou a ser como era”, adiantou em comunicado enviado ao Notícias ao Minuto o grupo editorial que chancela a obra.

Prémio LeYa 2017

Foto: divulgação

O autor vencedor do Prémio LeYa 2017

Os Loucos da Rua Mazur é o segundo romance de João Pinto Coelho, escritor português nascido em Londres, em 1967.

Licenciado em Arquitetura, o autor criou interesse no Holocausto, sobre o qual construiu o seu currículo. Não só desenvolveu investigações, mas também participou e implementou diversos projetos dedicados ao tema, entre os quais Auschwitz in 1st Person/A Letter to Meir Berkovich.

Publicado em 2015, Perguntem a Sarah Gross foi o romance de estreia do escritor português no mundo literário que, à semelhança do livro galardoado este ano, aborda um dos períodos mais negros da história da humanidade.

Lê também: João Paulo Rodrigues lança livro de anedotas para crianças