Não é a arca de Noé, mas é quase. Alguns residentes do Jardim Zoológico de Lisboa vão entrar na “arca” de Joel Sartore. O orador e fotógrafo de vida selvagem do National Geographic criou em 2005 o projeto Photo Ark, hoje a maior coleção de retratos de animais do mundo. A “arca” foi criada com o intuito de documentar toda a beleza e diversidade das inúmeras espécies existentes no nosso planeta, sensibilizando o público para a importância – e até mesmo urgência – de as proteger e preservar…enquanto ainda há tempo.

Joel Sartore; fotógrafo

Foi nesse sentido que no passado dia 18 o fotógrafo se deslocou ao zoo de Lisboa para fotografar, ao todo, 11 espécies animais. Além de integrarem o seu inovador projeto fotográfico, os retratos destas espécies estão agora presentes na exposição mundial de Photo Ark, recentemente aberta ao público na cidade do Porto.

Entre as espécies fotografadas na capital contam-se: vários mamíferos, como o Leopardo-da-pérsia (Panthera pardus saxicolor), o Impala-de-face-negra (Aepyceros melampus petersi), o Lobo-ibérico (Canis lupus signatus) e o imponente Leão-africano (Panthera leo); alguns répteis, como o Caimão-anão (Paleosuchus palpebrosus) e a Serpente-rei-oriental (Lampropeltis getula getula); e ainda aves como o Milhafre-preto (Milvus migrans).

Impala-de-face-negra; Joel Sartore

Joel Sartore fotografa um Impala-de-face-negra macho para o projeto Photo Ark

No passado mês de setembro, Joel Sartore fotografou o seu 7 000.º animal. O objetivo é no entanto chegar aos 12 mil retratos e, como já foi referido, levar o público a preocupar-se com o destino das espécies em perigo.

Photo Ark; Joel Sartore; 7000

Este pequeno marsupial, chamado opossum-de-Leadbeater mas apelidado de “Fada da Floresta” pelos seus hábitos noturnos e pela forma como descansa nas cavidades das árvores, foi o 7.000.º animal a ser captado pela lente de Joel Sartore.

Cada retrato conseguido pelas mãos de Sartore possui uma exímia qualidade fotográfica, sublinhando as características sui generis que tornam cada espécie única à sua maneira e digna de ser protegida – necessariamente protegida, na verdade.

“Receber o Joel Sartore e o seu projeto em Portugal e poder contribuir para o crescimento do Photo Ark é um motivo de enorme orgulho”, diz Vera Pinto Pereira, vice-presidente executiva da National Geographic Partners – Portugal e Espanha, “O Jardim Zoológico tem realizado um trabalho fantástico na conservação de centenas de espécies e algumas delas vão agora percorrer o mundo, num projeto único que pretende mobilizar os cidadãos para a necessidade de proteção da biodiversidade no nosso planeta”.

A exposição Photo Ark vai estar aberta ao público até abril na Galeria de Biodiversidade do Museu de História Natural e da Ciência da Universidade do Porto. A mostra engloba cerca de 40 fotografias, infografias e vídeos das mais diferentes espécies, através dos quais os visitantes podem ficar a saber mais sobre os animais representados e olhá-los nos olhos, sabendo que são espécies únicas e que, por isso mesmo, devem ser protegidas.

Fernando Salema Garção, vice-presidente do Jardim Zoológico, mostra-se satisfeito pela colaboração com o projeto Photo Ark. “Diariamente, empenhamo-nos para dar voz às espécies vulneráveis e ameaçadas pela extinção, assim como à importância de preservação dos seus habitats. A associação a este maravilhoso projeto não só prova o reconhecimento desse trabalho, como o amplifica. Temos plena confiança de que este é mais um passo na educação para a conservação, que irá inspirar muitos dos visitantes a uma maior consciência e cuidado quotidiano”.

Joel Sartore

Joel Sartore

Com a presente situação ambiental a agravar-se a uma escala global – com o incumprimento das metas sustentáveis em diversos países, os efeitos cada vez mais palpáveis do aquecimento global e, mais recentemente, com a polémica da extração mineira na Amazónia, um dos mais ricos pólos de fauna e biodiversidade do mundo – a necessidade de se dar atenção à preservação das espécies animais e vegetais em toda a sua diversidade torna-se inegável.

Joel Sartore afirma que é urgente agir, acrescentando que “esta é a melhor altura para salvarmos espécies porque são tantas as que precisam da nossa ajuda”.

Para saberes mais sobre o projeto Photo Ark, podes visitar a sua página oficial.