Iberanime OPO 2017: regresso a Gondomar em comunhão com 4Gamers

O Iberanime OPO 2017 saiu da Alfândega regressando ao Pavilhão Multiusos de Gondomar, mas nem por isso dispensando algumas novidades, nomeadamente a força do seu “evento vizinho” o 4Gamers.

Um evento para a cultura japonesa outro para os gamers

Sendo um evento de cultura pop japonesa, já são tradição as típicas bancas de merchandising recheadas de artigos vindos de terras nipónicas para animar os amantes de manga, anime, cosplay, gastronomia e música. Um pouco por todo o lado, os visitantes iam-se deliciando com os diversos pedacinhos de cultura a que podíam deitar as mãos, satisfazendo a sua curiosidade com novo material ou procurando aquela lembrança baseada na sua série de anime favorita.

No entanto, apesar do típico foco na cultura japonesa ao qual o Iberanime é tão conhecido, este ano uma novidade surgiu que fez ainda mais as delícias dos seus visitantes, mais propriamente dos jogadores. O evento 4gamers adicionou um novo espaço ao já vasto recinto e juntou um grande número de jogadores e amantes dos e-sports. Ao longo dos dois dias foi possível assistir a torneios de League of Legends e CS:GO, conversar com YouTubers e Streamers e ainda fazer uma pequena viagem no tempo às consolas e videojogos retro.

Neeko e a sua alegria contagiante

Música é uma parte fundamental de qualquer cultura e algo que ajuda à distinção da mesma em relação às demais. É por isso que os concertos são imprescindíveis no Iberanime, e este ano as participações musicais estiveram bem fortes. As bandas portuguesas Hurry Go Round e Kishi Kaisei animaram o Palco Moche com as suas interpretações de aberturas e encerramentos de animes muito conhecidos e amados pelos fãs.

Mas também as presenças internacionais encantaram os dois épicos dias do Iberanime. Vinda do Japão e espalhando uma alegria contagiante, a cantora Neeko deu um ar da sua graça durante os dois dias, cantando e encantando com a sua muito peculiar voz e aparência adorável. A cantora, e também dobradora, levou os fãs ao delírio ao cantar não só temas originais mas também temas de animes famosos.

Vinda também de terras nipónicas, a cantora Mashiro Ayano também deu a conhecer os seus dotes, interpretando canções que entram na abertura de Fate/stay Night e no encerramento de D.Gray-Man Hallow, para além de outros originais.

Mas não foi só com música que o Iberanime entreteve os seus visitantes. A ilustradora  e animadora Nunumi também deu a conhecer um pouco do seu trabalho, oferecendo workshops sobre desenho e captação de gestos e expressões faciais. Também Nunumi esteve presente em sessões de Q&A para falar um pouco sobre o seu percurso artístico e aconselhar aqueles que desejam seguir a carreira da animação. No Palco Moche, Nunumi teve também oportunidade de apresentar alguns dos seus trabalhos como Ballerina, The Suicide ShopSnowtime, entre outros.

À descoberta da cultura tradicional e moderna do Japão

A cultura japonesa é sem dúvida imensamente rica, e é para mostrar um pouco dessa riqueza que o Iberanime se propõe a proporcionar aos seus visitantes as mais variadas experiências. Ao longo dos dois dias foi possível fazer uma viagem ao Japão sem sair do Multiusos de Gondomar, através de demonstrações de artes marciais, mostras de dança tradicional japonesa e aulas de iniciação ao japonês.

Graças à presença da Embaixada do Japão, foi possível conhecer um pouco mais das práticas comuns do povo japonês, permitindo aos visitantes experimentar o vestuário típico, como yukatas, aprender a fazer embrulhos originais, dar os primeiros passos na escrita e mesmo aprender sobre origami.

Cosplay: a força que move o Iberanime

O Iberanime não é a mesma coisa sem os maiores artistas que lhe dão a alma. Como é já tradição anual, os amantes de mangas, animes e videojogos deram asas à sua criatividade e apresentaram-se vestidos das suas personagens favoritas. Quer seja imitando as famosas poses ou somente adotando uma posição mais ao natural, o que é certo é que estes artistas mostraram ao longo dos dois dias uma boa disposição contagiante e uma grande mostra de criatividade e paixão pela arte da encarnação de personagens.

Não poderíamos deixar de parte neste tópico a presença de Yaya Han, que é considerada como um dos maiores nomes de cosplay. Além desta atividade, a jovem designer e modelo conseguiu uma carreira de destaque em parte graças à sua forte ligação com o cosplay, tendo sido um dos membros de juro dos diversos concursos de cosplay do evento.

E como não podia deixar de ser, por mais um ano os concursos de cosplay marcaram em força a edição de 2017. O concurso de cosplay de grupo deu a conhecer ao público não só a habilidade na criação de roupas dos seus participantes mas também a sua capacidade de interpretar cada personagem. Neste concurso, o terceiro lugar ficou para a dupla Lara e Dora Santos com as personagens Ram e Rem do anime Re:Zero, o segundo lugar foi entregue a Joana Boléo e Joel Araújo, que interpretaram respetivamente Edward e Alphonse Elric de Fullmetal Alchemist, e o trio Henrique Correia, Susana Antunes e Pedro Lopes conseguiram o galardão de primeiro lugar com as personagens Denki Kaminari, Kyouka Jirou e Katsuki Bakugou de My Hero Academia.

O World Cosplay Summit, ou o campeonato mundial de cosplay foi também um muito apreciado e renhido concurso em que os seus participantes competiram para um dos dois lugares de destaque como representantes de Portugal no Clara Cow’s Cosplay Cup no Anime Con 2018 na Holanda (para o segundo lugar) e em Nagoya, no Japão (para o primeiro lugar). Nesta competição, na qual também entraram equipas, o galardão de segundo lugar foi entregue à equipa Phantom Thieves, com Carolina Magalhães e Cláudio Santos a interpretar Neaki e Ur, de Avalon Code. Por sua vez, o primeiro lugar foi para as mãos da Team Konpeito, com Leonor Grácias e Madalena Ramires a interpretar respetivamente Inuyasha e Sesshoumaru do anime Inuyasha.

Contudo, foi o Cosplay World Masters quem roubou grande parte do protagonismo ao longo do evento. Mostrando participações criativas e interpretações soberbas, o concurso para apurar os dois representantes que irão participar na final que será realizada em maio de 2018 em Lisboa foi bastante renhido. Com uma notória performance, o cosplayer Leonardo Ramos Lucas ganhou o Prémio Escola de Moda Gudi, uma bolsa de formação no valor de 675 euros. Quanto aos escolhidos para representarem Portugal na grande final, tal prémio foi atribuído a Iris Santos, interpretando um Demon Hunter do videojogo Diablo III, e a Inês Fonseca, que interpretou a personagem Freyja Wion, do anime Macross Delta.

Fotografias de Mariana Gomes e Sara Sampaio

Artigo atualizado a 24/10 às 23h34

Mais Artigos
Por Trás dos seus olhos Eve Hewson
Crítica. ‘Por Trás dos Seus Olhos’: tudo o que é de mais, enjoa