Katty Xiomara leva-nos numa viagem até ao Art Deco District em Miami Beach nos anos 60. Mas em vez de irmos numa máquina do tempo, vamos à boleia de um paraquedas. A coleção da designer luso-venezuelana “pretende criar uma ligação nostálgica, mas retratada com contemporaneidade, refletindo o revivalismo deste movimento de uma forma mais leve, colorida e doce, adaptada à estética da década de 60”.

O cenário estava montado no ex-matadouro municipal do Porto. Longos tecidos que se assemelham a paraquedas pendurados no teto e paredes cobertas com graffitis recriam um pouco “o ambiente inspiracional da “Parachute Trip”, evocando Miami e a zona emblemática de Wynwood”.

As cores dos coordenados combinavam com as das paredes, pintadas propositadamente para a apresentação das propostas para a primavera/verão de Katty Xiomara. Tons pastéis, contrastavam com outras tonalidades mais vibrantes como azul, vermelho, laranja e coral, e o preto e branco serviam como “pontos neutros de encontro”.

A feminilidade característica da criadora traduz-se em rendas, folhos e transparências e adapta-se ao tema através de mangas balão e tecidos fluídos. Se pegassemos em algumas peças podíamos efetivamente saltar de paraquedas. Mas talvez não seja muito seguro.

As silhuetas são simples e soltas, efeito conseguido através de tecidos como ripstop, crepe, lamé, gingham, tule e renda. Surgem também desenhos de paraquedas e flamingos, assim como o nome da coleção em alguns coordenados, que invocam o ambiente de Miami Beach.

O espaço

O ex-matadouro municipal do Porto foi o espaço escolhido por Katty Xiomara para mostrar as propostas para as estações quentes de 2018. A marca utilizou “o edifício como uma tela em branco” e convidou a Circus Network, que elaborou um plano de trabalho com 14 artistas, para pintarem um mural de 60 metros que serviu como pano de fundo do desfile.

Este local vai ser reabilitado e reconvertido no novo Museu da Indústria, mas até as obras começarem funcionará como uma paragem obrigatória para os amantes de street art. “A ideia é que esta manifestação artística não se limite a ser o cenário do desfile, mas também o vestido de gala para a despedida do ex matadouro, criando uma nova rota de street art até o seu encerramento para obras.”

Fotografia: Nicole Gonçalves