Há coisas que nos marcam e Nuno Baltazar vai guardando-as num bau onde constrói o seu universo interior. Para esta coleção decidiu avivar as suas memórias do Amante, um livro escrito por Marguerite Duras que leu há 20 anos atrás.

O romance autobiográfico conta a história do primeiro amante da autora, escrito apenas quando esta tem quase 70 anos. A distância entre os acontecimentos e a escrita da história faz com que a memória não seja precisa, seja fragmentada.  Daí a ideia de fragmento, da qual a coleção parte.

O designer não quis voltar a ler a obra para que a ideia fosse também fracionada nele. Ao regressar ao momento em que conheceu o romance, fez inevitavelmente um percurso pelo que viveu, por quem conheceu, e pelo próprio universo da escritora, e tudo isso foi sendo misturado de uma forma imprecisa. Assim, surgiram sobreposições, mistura de tecidos quase líquidos com outros muito compactos e momentos de luz que contrastavam com outros de sombra.

Nuno Baltazar trabalhou a cor num conceito, como é característico seu, mas optou por uma paleta cromática diferente da que costuma utilizar, experimentando várias tonalidades de azul e verde, além do branco, bege, cinzento e preto.

Transparências, renda, xadrez, metalizados e penas despontam em coordenados clássicos e elegantes. Existem fatos masculinos vestidos por mulheres, com blusas esvoaçantes que irrompem por baixo de blazers, como se de caudas se tratassem, looks monocromáticos e ainda alguma mistura de padrões.

Colaboração com a Sport Zone

No final do desfile, o designer aproveitou para anunciar que é o criador nacional associado à parceria da Sport Zone com o Portugal Fashion. Depois de Miguel Vieira ter sido o escolhido na edição passada, Nuno Baltazar cria uma coleção 100% athleisure que vai estar à venda nas várias lojas da marca do país no início de 2018.

Com uma atitude mais desportiva que não é tão comum no trabalho do designer, as peças refletem a nova atitude dos homens e mulheres portugueses que fazem desporto, mas que o misturam cada vez mais no seu dia a dia com outras peças mais sofisticadas.

“A coleção é muito centrada numa ideia daquilo que é a iconografia cinematográfica da década de 80 que tinha muito a ver com filmes em que a dança era muito forte: o Flash Dance, o Stand Alive, e toda essa dinâmica muito de ensaio, de peças em malha jersey cinza, a ideia da transpiração assumida, muito sensual ao mesmo tempo, punhos de desporto, meias retro.”

O Portugal Fashion terminou no dia 21 de outubro com a apresentação das coleções de Katty Xiomara e Luís Buchinho, da parte da manhã, em local próprio, e Alexandra MouraPé de Chumbo, o segmento Shoes (com as marcas AmbitiousDkodeFly LondonJ. ReinaldoNobrand e Rufel), Lion of PorchesMicaela OliveiraDielmar e Ana Sousa, na Alfândega do Porto.

Lê também: OS CISNES DE DIOGO MIRANDA E A AFIRMAÇÃO DE HUGO COSTA

Fotografia: Nicole Gonçalves