Entre 1965 e 1971, a revista Aspen revolucionou o panorama editorial norte-americano pelos seus conteúdo e formato não convencionais. Os dez números publicados, bem como a memorabilia a eles associada, estarão em exposição na Culturgest, em Lisboa, até 7 de janeiro de 2018.

Concebida como uma cápsula do tempo, a revista Aspen nasceu pelas mãos da editora de Women’s Wear Daily Advertising Age Phyllis Johnson. Cada número da revista apresentava-se em forma de uma caixa negra que continha no seu interior textos, cartazes, postais, discos com gravações sonoras ou mesmo filmes em super 8mm.

Aspen

Foto: números 5 e 6 da revista Aspen, publicados em 1967 e dedicados ao Minimalismo

Os dez números publicados são edições originais, supervisionadas por editores e designers diferentes, entre os quais os vultos da cultura norte-americana Andy Warhol e David Dalton.

A aldeia global de Marshal McLuhan, os movimentos artísticos Fluxus e Minimalismo ou a cena de performance nova-iorquina foram algumas das temáticas abordadas nas páginas da revista.

A partir da coleção de António Neto Alves, a exposição Time Capsule – A revista Aspen, 1965-1971 apresenta não só as edições, mas também a documentação (livros, revistas, etc.) associada ao período em que foram publicadas ou ao ponto de vista dos seus colaboradores, como por exemplo o poeta Gerard Malanga ou a banda The Velvet Underground.

No dia 25 de novembro, às 17h30, o curador da exposição Delfim Sardo fará uma visita guiada para contextualizar e aprofundar a revista da contracultura norte-americana.

LÊ TAMBÉM: LIVRO PÓSTUMO COM ÚLTIMOS POEMAS DE LEONARD COHEN É PUBLICADO EM 2018