Campanha destinada às redes sociais mostrava uma mulher negra a transformar-se em branca depois de usar produtos da Dove. A marca pediu desculpa e retirou o anúncio. 

A Dove – marca de higiene pessoal e de beleza – pediu desculpas após publicar na página de Facebook uma peça publicitária – relativa a um gel de banho – que mostrava uma mulher negra a despir uma t-shirt castanha, transformando-se numa mulher branca, com roupa clara. O anúncio foi considerado racista por milhares de internautas, gerando milhares de comentários negativos.

Entretanto, a Dove retirou o anúncio e pediu desculpa, utilizando o Twitter, afirmando que a imagem publicada “não representa as mulheres de cor de forma atenciosa”. “Estamos profundamente arrependidos pela ofensa que causou”, acrescentou a marca do grupo Unilever. Ainda assim, milhares de pessoas responderam à publicação no Twitter com críticas à marca.

O pedido de desculpas da Dove, no Twitter, depois do sucedido.

Também a make-up artist Naythemua, com cerca de 60 mil seguidores no Facebook, deu conta da situação num post, tornando a situação ainda mais viral, no qual explica sucintamente a polémica e partilha a resposta que a Dove lhe terá dado na página da marca.

Num outro comunicado, a que o The Guardian teve acesso, a marca acrescentou: “Como parte de uma campanha para o gel de banho da Dove, foi publicado um clip de três segundos na nossa página de Facebook dos Estados Unidos da América. Esse post não representa a diversidade da beleza real, que é algo em que nós acreditamos profundamente e que está na base das nossas crenças. Retirámos o post e não publicámos mais nenhum material relacionado. Pedimos sentidas desculpas a todos os que se sentiram ofendidos”.

Marissa Solan, porta-voz da marca, esclareceu que a campanha tinha como objectivo «mostrar que o gel de banho da Dove é para todas as mulheres». Citada pelo New York Times, a responsável indica que pretendiam, também, celebrar a diversidade mas que o resultado não foi o esperado. «Estamos a reavaliar os nossos processos internos para a criação e revisão de conteúdos», acrescenta Marissa Solan.

Dove já tinha sido acusada de racismo em 2011 e 2015

Em 2015, a marca de higiene pessoal chegou a pôr à venda no mercado um creme de verão para nutrir e fazer brilhar a pele, para peles “normais a negras”.

Já em 2015 a marca fora acusada de racismo – o que em 2017 ainda desperta reações negativas.

Também em 2011, a Dove foi acusada de racismo por apresentar um anúncio em que colocava três mulheres, a primeira com a pele mais escura e a última com uma cor de pele mais clara, em que parecia sugerir que a mulher branca era o resultado final da boa utilização do gel de banho da marca.

Umas das muitas reações.

Lê também: GIGI HADID LANÇA LINHA DE MAQUILHAGEM EM COLABORAÇÃO COM MAYBELLINE