A Google voltou aos portáteis com o lançamento do Pixelbook. O anúncio foi feito no dia 4 de outubro.

No início deste ano (2017), a empresa tinha anunciado que iria abandonar a comercialização do seu Chromebook, que na altura se chamava Chromebook Pixel, para se focar nos smartphones. No evento que se realizou no dia 4, descobrimos que este equipamento está de volta, com hardware atualizado e um novo nome.

Hardware

A versão base do Pixelbook vem equipado com um ecrã tátil de 12,3 polegadas e resolução QuadHD (2400 x 1600 pixeis), 8GB de RAM, processador Intel i5 de 7ª geração, disco SSD de 128GB, Bluetooth 4.2, Wi-Fi (802.11 a/b/g/n/ac), duas portas USB-C e teclado retroiluminado ajustável até 360º. Estas características conferem-lhe um preço de 999 dólares (aproximadamente €853.20 na altura de publicação deste artigo).

Lê também: Google apresenta os novos Pixel 2

É possível, no entanto, aumentar a RAM para 16GB, optar por um processador i7 de 7ª geração, e aumentar o armazenamento para 256GB ou 512GB. Há ainda a opção de adquirir uma caneta para o equipamento, vendida separadamente por 99 dólares.

Sistema operativo e software

O sistema operativo do Pixelbook é o Chrome OS, que virá com o assistente virtual Google Assistant integrado, fazendo dele o primeiro Chromebook com esta integração. Assim, ao premir a tecla dedicada para ativar a funcionalidade, é possível dar comandos de voz ou escritos ao equipamento.

De acordo com a empresa, o Chrome OS é totalmente compatível com a Play Store. Desta forma poderás utilizar as tuas aplicações Android preferidas no equipamento e adquirir conteúdos multimédia através da loja.

O Pixelbook e a caneta opcional podem ser adquiridos através da Play Store do Canadá, Estados Unidos e Reino Unido.