Catarina Abrantes Alves

Japão: o país do desassossego sossegado

Ao longo de 18 dias tive a oportunidade de visitar 7 cidades incríveis no Japão, com acesso a toda a cultura a que tive direito. Desde a ruidosa e luminosa cidade de Tokyo ao silêncio pacífico de Kyoto, espreitam oportunidades infindáveis de descoberta e surpresa. O que trago de lá? As cores, os sabores, os sons, as mangas, o ramen, a alegria e simpatia daquele povo que nos cumprimenta tantas vezes quantas consegue.

Era já um sonho antigo, ali à espera do seu momento. Em 2017 foi o ano. No mês de abril (finalmente!) dei um saltinho ao Japão e pelo caminho fui registando pequenos momentos desta viagem maravilhosa, que me faz sentir vontade de voltar.

Tokyo

A viagem começou por Tokyo. Ficámos por lá 5 dias para podermos visitar tanto a cidade, como todos os pequenos (e grandes) estabelecimentos que nos aparecessem pelo caminho. Missão cumprida.

Se por um lado há espaços verdes para visitar, por outro podemos perder-nos facilmente em locais como Akihabara – bairro da tecnologia, jogos, anime e manga. O que mais surpreendeu? A música que se faz ouvir por todos os cantos da cidade.

 

Takayama

A caminho de Kyoto, decidimos fazer um desvio e passar uma noite em Takayama cidade com traços muito tradicionais de cultura japonesa.

 

Kyoto

A terra dos templos. Ao contrário de Tokyo, a falta de ruído chama-nos a atenção para o facto dos japoneses serem indivíduos muito silenciosos, o que faz com que se sinta uma certa serenidade enquanto passeamos pelas ruas.

 

Nara

Durante a estadia em Kyoto, um dia foi dedicado a passear por Naraconhecida pelos seus veados que circulam livremente por todo o lado.

 

Mount Koya

Passar a noite num Templo Japonês? Sim, é possível. Mount Koya é uma pequena terra que alberga dezenas de Templos prontos para receberem turistas. É também por lá que se encontra o maior cemitério do Japão.

 

Osaka

A passagem por Osaka foi curta. Ainda assim, foi fácil compreender que se junta o melhor de Tokyo e Kyoto, numa versão mais pequena e acolhedora.

 

Hiroshima e Miyajima

“A passagem por Miyajima é obrigatória”. De facto, valeu a pena fazer a paragem por Hiroshima, cidade claramente marcada pela Guerra, para passar o dia na bela e pacífica ilha japonesa, com os seus pequenos Templos e vegetação.

 

Mount Fuji – Fuji Shibazakura Festival

Caminhava-se para o fim da viagem, que não ficaria completa sem esta paragem fundamental. E por ser Primavera, foi possível assistir ao Festival das Flores.

Lê também: SUL DE ITÁLIA: NÃO PERCAS TEMPO EM NÁPOLES

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Até dezembro, só festivais e espetáculos autorizados pela DGS podem acontecer