Berlim, 1956. Uma família proprietária de uma escola de dança, com uma mãe conservadora e as suas três filhas, protagoniza Toca a Dançar, que estreia esta quarta-feira (27) às 22 horas.

A nova minissérie do segundo canal é um retrato da jovem geração alemã dos anos 50, entre o final da II Guerra Mundial e o milagre económico da reconstrução da Alemanha.

Caterina Schollack (interpretada por Claudia Michelsen) é uma mãe conservadora que dirige a prestigiada escola de dança Galant. A sua principal preocupação é garantir às suas três filhas, Monika (Emilia Schüle), Eva (Emilia Schüle) e Helga (Maria Ehrich), as melhores oportunidades e assegurar-lhes um bom casamento o mais rapidamente possível.

Eva e Helga tentam corresponder às expectativas da mãe, mas a rebelde Monika luta contra as convenções sociais e o papel de género imposto às mulheres na sociedade. Fascinada com o rock’n’roll e toda a estética que lhe está associada, Monika quer decidir o seu próprio destino e lutar pela igualdade e a emancipação sexual das mulheres.

A moralidade hipócrita, o choque entre valores divergentes e as primeiras experiências sexuais das jovens raparigas são alguns dos ingredientes de Ku’Damm 56, uma minissérie alemã de 6 episódios que a RTP2 traduziu para Toca a Dançar e escolheu para suceder à italiana 1993 nas noites do canal.