Escovas de dentes feitas a partir de bambu. É este o conceito da Babu, uma marca que chegou ao mercado há cerca de um ano e meio e pretende revolucionar o mundo da higiene oral, com alternativas mais sustentáveis e amigas do ambiente.

Está na altura de trocares a tua escova de dentes? Já passaram alguns meses desde que compraste a tua última escova? Então talvez queiras experimentar uma alternativa diferente, mais ecológica e bonita. O Espalha-Factos também estava curioso e testou as Babu. Contamos-te tudo, para que não restem dúvidas: estas são as escovas de dentes mais cool que vais experimentar.

A substituição do plástico das escovas de dentes por bambu já existe há alguns anos e motivos não faltam para que todos comecemos a fazer esta troca. Mas se ainda não percebeste bem porque deves começar a optar por escovas de dentes feitas a partir de uma planta, nós explicamos tudo.

Bambu: uma planta versátil e autossustentável

As escovas de dentes feitas a partir de bambu são a alternativa mais sustentável às tradicionais escovas de plástico e razões não faltam. O bambu é totalmente biodegradável. Ao contrário das escovas de dentes tradicionais, que demoram mais de 400 anos a decompor-se, o bambu vem diretamente da natureza e o seu impacto ambiental é muito menor, em comparação com as toneladas de resíduos todos os anos provocadas pelas escovas de dentes de plástico.

O material de que são feitas estas escovas, o bambu, é um antibacteriano natural, uma vez que fazem parte da sua constituição agentes que previnem a proliferação de bactérias. O facto de ser também um material não poroso impossibilita a contaminação por fungos, o que vai contribuir para uma higiene oral mais limpa e saudável. Os nosso dentes também vão ficar a ganhar: o bambu é a planta com maior concentração de sílica do mundo, elemento importante no reforço do trabalho do cálcio.

Enquanto material, o bambu tem ainda outras vantagens, que justificam porque haja já várias marcas a dedicar-se à sua utilização, que não se restringe à produção de escovas de dentes. O facto de ser a planta com maior crescimento diário (no Japão, onde foi batido o recorde, cresceu 121 cm em 24h) permite que a sua produção seja rápida e fácil. Além disso, após o corte, o bambu regenera-se e, se bem tratado, pode viver até 100 anos. Este motivos contribuem para que existam já mais de 4000 utilizações para esta planta. Exemplos disso são a produção de chá a partir das suas folhas, ou a utilização do carvão de bambu em banhos de imersão, conhecidos pelas suas propriedades medicinais.

As escovas de bambu da Babu, com sede em Portugal, são produzidas por um parceiro asiático, de onde é originário o moso bambu, de que são feitas. A opção por esta espécie de bambu deveu-se ao facto de ser uma das espécies com maior crescimento e cujo aproveitamento, nas palavras de João Jerónimo, responsável da marca, “não compromete o ecossistema”, uma vez que o fornecedor “beneficia da proximidade geográfica da produção de bambu”.

Também quisemos experimentar

Razões não faltaram para nos convencer a experimentar as escovas feitas de bambu, as Babu. A marca oferece dois tamanhos de escova: normal  (18,5 cm) e criança (14 cm). As escovas normais são aconselhadas para adultos e as cerdas estão disponíveis nas texturas extra suave, suave, média e firme. As de crianças têm as cerdas extra suaves. A disposição das cerdas também não foi deixada ao acaso:  estão colocadas em formato crescente. “Este formato e dimensão das nossas cerdas permite alcançar os dentes molares com maior facilidade sem se tornar abrasivo para as gengivas”, explica João Jerónimo.

 

A primeira vez que pegamos numa Babu temos a sensação de que esta é uma escova do passado. O cabo cor de madeira e as cerdas azuis e verdes não são o arquétipo da escova de dentes. Mas é impossível não lhe achar piada. As Babu são despretensiosas, minimalistas. Lembram-se dos cabos das escovas de plástico, cheios de altos e baixos, zonas rugosas para agarrar, cores aqui e acolá? Esqueçam. Estas escovas não têm nada disso. São escovas simples, que se adequam perfeitamente a esta nova onda minimalista que invadiu muitos blogs por essa internet fora.

Calma, ainda não nos esquecemos que estamos só a falar de uma escova de dentes. Mas acreditamos que esta escova vem revolucionar aquilo que a marca considera “um produto que não sofre qualquer tipo de inovação há mais de 5o anos e que afeta grandemente os níveis de poluição do nosso planeta”. Sabem aquele nosso amigo preocupado com o ambiente? E o vegetariano? E aquela amiga com bom gosto que tudo o que usa tem ‘muita pinta’? À partida parece que esta escova seria para eles.

É para eles, mas os responsáveis da marca querem que ela chegue a toda a gente. Este é um “produto que estaria à partida enquadrado num nicho de mercado, mas que nós ambicionamos colocar em cada vez mais casas de banho“, pode ler-se no site da marca.

Que modelo escolher?

Testámos os quatro modelos e ficámos indecisos na textura: suave ou média, mas mais inclinados para a suave. A firme pareceu-nos mais rija e ideal para quem adora sentir que está a lavar os dentes com vigor (mas cuidado, que os dentistas não adoram esse comportamento), a extra suave para os mais sensíveis ou para os mais novos, em transição para a escova de tamanho normal. A sensação de dentes limpos é igual em todas, mas a suave é ótima para quem sempre procurou uma escova mais macia e resistente ao mesmo tempo.

Em poucas palavras, lavar os dentes com uma Babu ou uma escova tradicional é semelhante. No entanto, e sabendo as vantagens de optar por uma escova de bambu, não nos restam muitas dúvidas sobre quem vence a “batalha”. 1 – Escovas de bambu 0 – Escovas tradicionais.

O preço também não é dissuasor: as Babu custam entre 3,5€ e 4€ e podem ser adquiridas em várias lojas online e pelo país de norte a sul.

Ainda tens dúvidas? Respondemos a algumas questões.

Que impacto tem a longo prazo a troca para escovas de bambu?

João Jerónimo considera que o impacto é muito difícil de calcular. No entanto, todos os anos são usadas, só no mundo ocidental, 25 mil toneladas de escovas de dentes de plástico, grande parte delas sem qualquer reaproveitamento, acabando por vezes no oceano. As escovas de dentes de bambu são a solução para este problema.

A escova é totalmente biodegradável?

Infelizmente, não. Recentemente, a Babu mudou as suas embalagens e agora são feitas de cartão biodegradável. Contudo, ainda não há uma alternativa ecológica para as cerdas, que têm sempre uma percentagem de nylon. O aconselhado é cortar as cerdas quando chega a hora de trocar de escova e colocá-las no ecoponto amarelo.

Que tipo de pasta de dentes se deve usar?

Existem alternativas ecológicas e mais saudáveis de pastas de dentes. É de evitar pastas que contenham fluoreto de sódio, triclosan, parabenos ou propilenoglicol.

Que cuidados especiais se deve ter com a Babu?

Deves deixá-la num local seco, porque o bambu pode adquirir humidade. Evita também que a Babu esteja em contacto com outras escovas e objetos mais velhos, que podem ter germes e bactérias. Tal como com as escovas tradicionais, a troca deve ser feita a cada 2 a 3 meses.

Além de escovas de dentes, há outro tipo de produtos de higiene da Babu?

Ainda não, mas até ao final do ano a marca conta lançar no mercado novos produtos de higiene, que sigam a mesma filosofia das escovas de dentes.