Depois de 364 dias de espera por uma nova temporada de Narcos, série original da Netflix, ela finalmente chegou. Na passada sexta-feira (1), o agente Peña (Pedro Pascal) reapareceu nos ecrãs dos nossos computadores, desta vez com um novo cartel na mira e sem a ajuda do seu “fellow gringo”, o agente Murphy (Boyd Holbrook).

O desmantelamento do Cartel de Calí é o grande objetivo da DEA, na terceira temporada desta série. Peña e os dois novos agentes recrutados, Chris Feistl (Michael Stahl-David) e Daniel Van Ness (Matt Whelan) ficarão a cargo de derrotar os irmãos Gilberto e Miguel Rodríguez-Orejuela (Damian Alcazar e Francisco Denis, respetivamente) e os seus dois sócios Pacho Herrera (Alberto Amman) e Chepe Santacruz (Pêpê Rapazote. Sim, é o nosso amigo tuga!).

Como qualquer outra série, há sempre uma banda sonora a acompanhar diversas cenas. Este artigo vem, precisamente, destacar aqueles que foram para nós os sete melhores momentos musicais desta temporada. Há muita salsa e hip hop, mas também alguns SPOILERS, por isso não venham dizer que não avisámos.

7. Lindas Y Bellas – Los Nemus del Pacífico (Episódio 1)

A apresentação do Cartel de Calí não poderia prescindir de uma boa salsa colombiana. A cena consiste em vários clips, narrados por Pedro Pascal, onde são reveladas as caras, as funções e alguns segredos dos quatro sócios do cartel protagonista desta temporada.

6. This Is How We Do It – Montell Jordan (Episódio 7)

Saltando para os últimos episódios da temporada, depois de muito sangue e cabeças a rolar, assistimos ao início da vingança de Pacho sobre os Salazar (um cartel que se tornara inimigo de Calí). Esta é um dos melhores momentos da série, uma vez que a letra da música demonstra exatamente o espírito do Cartel de Calí. “Cá se fazem, cá se pagam.”

5. Para Ti Caleña – La Sonora Dinamita (Episódio 6)

Toda esta cena é uma viagem pela cultura colombiana. Miguel Rodríguez assume o comando do cartel, depois do seu hermano ter sido preso. Faz a sua primeira aparição pública na Feria de Calí, um festival de salsa, acompanhado de uma trupe recheada de sicarios, que ainda assim não estavam preparados para o que a exposição do seu líder traria.

4. Shook Ones Part II – Mobb Deep (Episódio 10)

Com uma história a passar-se bem no meio dos anos 90, não podiam faltar grandes hits do hip hop que subia à ribalta. Este tema do duo norte-americano, surge já no último episódio da temporada, enquanto David – filho de Miguel Rodríguez – tenta salvar o que resta do império de Calí, depois de o seu pai e os restantes sócios terem sido detidos.

3. Dos Gardenias – Angel Canales (Episódio 1)

Este tema surge num dos melhores momentos da série. Pelo menos, na minha humilde opinião. Pacho Herrera, antes de vingar o nome e reputação do seu cartel, impressiona os presentes num baile local ao dançar uma salsa com um dos seus sicarios e amantes, revelando a sua homossexualidade.

2. C.R.E.A.M. – Wu-Tang Clan (Episódio 3)

Numa explicação narrada, mais uma vez, por Pedro Pascal, não podemos deixar de notar a presença de um dos singles mais conhecidos do grupo de hip hop norte-americano. A cena desenvolve o processo da lavagem de dinheiro do cartel de Calí e, de facto, a música reflete exatamente a situação: Cash Rules Everything Around Me.

1. Que No Quede Huella – Rodolfo Aicardi (Episódio 10)

Esta é a banda sonora dos últimos minutos da temporada. Assistimos a um Peña decidido a abandonar a carreira na DEA, mas ao mesmo tempo o olhar que o mesmo arrasta sobre o horizonte colombiano, onde se vê uma pequena embarcação que transporta cocaína, parece dizer exatamente o contrário. E esperemos que assim seja, malparido!

Está prevista uma quarta temporada para a série da Netflix, que foi confirmada ao mesmo tempo da terceira. Assim, daqui por um ano, talvez estejamos a falar sobre os momentos mais épicos da próxima season.