O Lisboa Soa – Encontro de Arte Sonora, Urbanismo e Cultura Auditiva está de regresso a Lisboa entre 14 e 17 de setembro. A segunda edição do evento que reflete sobre o som e a escuta vai ter lugar na Estufa Fria.

O principal objetivo do Lisboa Soa é “criar pontes num mundo com demasiados muros”. A programação tem em vista a redução da distância entre pessoas e culturas diferentes, “partindo da certeza que aprender a escutar é urgente, já que ouvir é abrir uma porta ao outro e à experiência de diálogo que vai para além da palavra”.

É “urgente escutar o mundo para que ele se torne cada vez mais sustentável”

Ao longo dos quatro dias a Estufa Fria vai receber workshops, instalações site-specific, performances e concertos de artistas nacionais e internacionais. Todas as atividades pretendem estimular a audição do público e fazer com que este explore o ambiente sonoro enquanto um todo.

O festival abre no dia 14 com a performance Prática das Cordas, de Adriana Sá e John Klima. Segue-se a atuação da sound artist e designer ambiental Mileece. A inglesa vai apresentar “sons harmónicos que traduzem impulsos bioelétricos aplicados às folhas das plantas”.

No dia 15, Jen Reimer e Max Stein vão explorar a ressonância e a natureza acústica do espaço. André Gonçalves com o álbum Música Eterna promete uma “viagem sonora de fazer perder no tempo e na contemplação”.

No sábado é a vez do argentino Juan Sorrentino apresentar Motto, um concerto que vai ser o resultado do seu workshop. Os oito participantes vão ter mochilas com microfones para amplificar os sons da Estufa Fria: os instrumentos vão ser os passos, os ramos e o vento nas árvores. A eslovena AGAPEA aka Saša Spačal vai apresentar Sonic close-up com grilos ao vivo Acheta Domesticus.

No último dia do evento os portugueses Sonoscopia vão partir de uma estrutura eletroacústica “onde as fontes sonoras são distribuídas no espaço físico da Estufa Fria” para criar o concerto Fauna.

Organização do festival

O Lisboa Soa é concebido pela investigadora Raquel Castro. A primeira edição, no ano passado, decorreu no Jardim da Tapada das Necessidades, reunindo mais de seis mil pessoas.

O festival integra-se no Lisboa na Rua e é coproduzido pelos Produtores Associados e EGEAC. Este é o vídeo de promoção do evento: