Com o arranque do mês de setembro, chega à capital o Lisboa na Rua, com muita dança, música e cinema nos jardins da cidade. A ideia é conhecer novos locais e novas propostas, através de uma programação gratuita pensada para lisboetas.

Primeiramente pensado como um programa para turistas, este ano o Lisboa na Rua vira-se para a cidade e para aqueles que nela habitam. Tendo isto em vista, o programa de 2017 é bilingue, com toda a informação em português e em inglês.

Instalado por toda a cidade desde dia 1, e até ao último dia de setembro, uma das grandes novidades do cartaz deste ano é a dança. Os responsáveis afirmam sentir cada vez mais grupos de dança, mais espontâneos, outros mais organizados e quiseram ir ao encontro disso, contrariando a timidez típica dos portugueses.

No programa estão agendados vários tipos de dança, com mestres que ensinaram a coreografia completa.

Destaques

Este ano, a principal surpresa no cartaz é a apresentação de Carmina Burana, de Carl Orff, pelo Coro e Orquestra Gulbenkian no jardim do Vale do Silêncio, nos Olivais, no próximo sábado, dia 9.

lisboa

Fonte: página oficial Lisboa na Rua – EGEAC

Ao contrário de edições anteriores do evento, em que o público rumava ao Terreiro do Paço, este ano os responsáveis decidiram optar por um sítio que ninguém sabe onde é.

Numa proposta de privilégio, o Coro e Orquestra Gulbenkian, vão estar vestidos de gala, um pouco ao estilo das garden parties que há em Inglaterra, numa lógica de acessibilidade e de democratização da cultura.

A Carris deverá ter carreiras especiais para o local neste dia.

Através desta novidade, entende-se que a ideia deste Lisboa na Rua é dar a conhecer novas zonas da cidade, criar novas centralidades numa cidade com o coração cada vez mais pressionado. Tome-se como exemplo o facto de o arranque do festival ter decorrido no jardim do Campo Grande, com a orquestra do Hot Club de Portugal, que faz 70 anos em 2018. Nesta zona houve já uma aposta da cidade, e é cada vez mais vivida.

“É um outro centro da cidade”.

Programa

Este ano, o Lisboa na Rua conta com o Cinecidade, no Palácio Pimenta, o Kiosquorama, no Coreto de Carnide, o Lisboa Soa, na Estufa Fria, e o Sou do Fado, no Largo de São Carlos. Também surgem no cartaz eventos programados por outras entidades, que decorrem na mesma altura e são gratuitos, como o Entrada Livre, no Teatro Nacional D. Maria II, a Open House Lisboa, o Festival Silêncio ou o Arroios Film Fest.

Mais informações e detalhes sobre o festival e o programa aqui.

LÊ TAMBÉM: PORTUGAL, BRASIL E MOÇAMBIQUE JUNTOS NO QUARTO ENCONTRO DE POETAS LUSÓFONOS