Homem-Aranha: Aprender a Escalar é o primeiro volume da série de histórias do Homem-Aranha que a Goody está a lançar em semanas alternadas, respeitando a cronologia dos recentes lançamentos da Marvel nos EUA.

Antes de ser reconhecido como um herói, o Homem-Aranha passou por altos e baixos que são agora revelados. Em Aprender a Escalar, vamos poder acompanhar os primeiros tempos de Peter Park como o ‘aranhiço de que toda a gente fala, mas sob uma diferente perspetiva e com a presença de um vilão completamente desconhecido até agora.

A narrativa começa a ser contada a partir da perspetiva do jovem Clayton Cole, que grava e difunde no seu canal de vídeo a primeira aparição do Homem-Aranha num combate de wrestling.

Clayton acaba por tornar-se o maior fã do super-herói, conseguindo até o primeiro autógrafo. Mas à medida que a sua admiração cresce, a vida de Peter Park complica-se. Não só porque o seu Tio Ben morreu devido à sua recusa em travar um criminoso, mas porque é cada vez mais difícil conciliar a sua identidade dupla e manter a sua reputação intacta.

Para além do regresso às origens do personagem, com a introdução de objetos quotidianos e conceitos contemporâneos que obviamente não estavam presentes nas primeiras histórias, percebemos como o poder do Homem-Aranha realmente trouxe grandes responsabilidades ao adolescente por detrás da máscara. A começar pela sua influência noutros jovens da sua idade que querem ser como ele e que, perante a rejeição, se podem tornar perigosos.

Destaca-se o combate final do Homem-Aranha com o novo vilão, em que Peter utiliza “as piadas patenteadas do Parker” para que o humor o ajude a vencer, tornando-se finalmente “o Homem-Aranha Amigo da Vizinhança”.

As lições são as que tão bem já conhecemos. Com grandes poderes vêm grandes responsabilidades e fazemos o que está certo apenas porque é o que está certo, mas se possível com algumas gargalhadas.

Com excepção da legendagem, que não é de todo irrepreensível, este primeiro volume é uma boa apresentação da nova aposta da Goody em trazer os grandes marcos da história de títulos como Amazing Spider-ManSpider-Man ou Spider-Man/Deadpool.

O que faria o Homem-Aranha?

Com argumento de Kevin Grevioux e arte de Lee Weeks, O que faria o Homem-Aranha é uma pequena história sobre a luta de Peter Park com a ideia de não poder controlar todas as repercussões das ações do Homem-Aranha e com o facto de também poder ter um impacto positivo nos outros de uma forma que nunca imaginara.

Esta segunda narrativa é um bónus da revista, que também inclui como extras diversas artes de capa e capas alternativas das histórias do Homem-Aranha, como um sketch a preto e branco de Alex Ross.

O volume 2 e o volume 3 também já estão nas bancas, com um custo de 7,90€ cada um. A Goody espera contar com o apoio da comunidade de fãs da banda desenhada da Marvel em Portugal. É possível enviar sugestões e críticas para a redação através de email ou da página de Facebook.

LÊ TAMBÉM: ‘VINGADORES VOL. 3’ CHEGOU HOJE ÀS BANCAS