A especulação terminou. A Purism, empresa que comercializa computadores com foco em software livre e de código aberto, vai mesmo lançar um smartphone com Linux “puro” e já iniciou a campanha de crowdfunding para tornar o projeto realidade.

Seguindo a metodologia usada para os seus portáteis, a norte-americana Purism iniciou uma campanha de crowdfunding que pretende recolher fundos para o desenvolvimento de um smartphone com Linux “tradicional”. O objetivo é arrecadar milhão e meio de dólares nos próximos sessenta dias, e disponibilizar o Librem 5 – nome escolhido para o equipamento – no primeiro trimestre de 2019.

O custo do equipamento é de 599 dólares (sensivelmente €508). Os interessados que contribuírem com 1399 dólares recebem, para além do Librem 5, um monitor de 24 polegadas, teclado e rato. Por 1699 dólares, o monitor passa a 30 polegadas.

A inclusão de opções com monitores, teclado e rato deve-se ao objetivo de convergência, isto é, poder utilizar o smartphone também como um desktop, bastando para isso ligar-lhe o monitor e restantes periféricos.

librem 5

Esta é a possível estética do Librem 5

Hardware

A escolha de hardware que vai equipar o Librem 5 ainda não está finalizada. A SoC i.MX6, lançada em 2011, ou a i.MX8, que ainda está em desenvolvimento, são as possíveis escolhas para a integração dos circuitos, que será acompanhada por 3GB de RAM e 32GB de armazenamento eMMC. Nas redes móveis, terá suporte para 2G, 3G e 4G (LTE), e contará ainda com WiFi e Bluetooth 4.0.

Dado o foco na privacidade, este smartphone terá, tal como acontece nos portáteis da marca, um sistema de kill switch – isto é, botões físicos ativar e desativar componentes – para o WiFi, Bluetooth e rede móvel.

Do ecrã, o que se sabe para já é que terá 5 polegadas.

Software

O software do Librem 5 não será Android nem uma distribuição de Linux largamente baseada no projeto da Google. A Purism opta por utilizar uma distribuição dita normal, servindo como base para o desenvolvimento de uma plataforma de convergência para todos os equipamentos (portáteis e agora também smartphones) que comercializa.

Esta distribuição chama-se PureOS e é baseada em Debian Linux. Este é o mesmo sistema operativo que a Purism utiliza nos seus portáteis. O código-fonte está disponível, seguindo o apanágio e modelo de negócio da empresa.

O Librem 5, contudo, não estará restrito ao PureOS. Os utilizadores poderão instalar qualquer outra distribuição que suporte a arquitetura da SoC, ARM.

No interface gráfico, a opção recai para já nas tecnologias GNOME/GTK. As imagens publicadas pela empresa sugerem uma versão da GNOME Shell adaptada às 5 polegadas do ecrã. Esta escolha deverá tornar a plataforma familiar para os utilizadores de Linux.

Deixamos-te com o vídeo promocional da campanha.