18 Pessoas

25 coisas a não perder nos 25 anos do Festival Paredes de Coura

Há quem já leve uns anos disto nas pernas, há quem ainda nem tivesse nascido quando Parede de Coura começou; se calhar há quem já tenha ido com os pais e vá pela primeira vez com amigos.

Em 25 anos, o Festival Paredes de Coura conheceu diversos formatos mas nunca alterou a sua forma de viver a música alternativa. Com o olho na experiência do passado e a excitação das bodas de prata, recomendamos que faças estas 25 coisas.

1 – Chegar um ou dois dias antes
Quanto mais cedo chegares, mais te vais divertir. Ainda por cima garantes o sítio perfeito no parque de campismo para montar a tenda. Ah, e a vila ainda estará no rescaldo das festas do concelho.

2 – Começar a sentir o festival na vila
É a oportunidade para ir ligando os motores e assistir a concertos na Rua Principal. The Sunflowers, Nice Weather for Ducks, The Twist Connection e Alek Rein são alguns dos nomes a que poderás assistir.

3 – Fazer uma boa refeição na Albergaria
Há muitos anos que este é o sítio para uma reconfortante refeição regada a bom vinho verde de pressão. Claro que se se come maravilhosamente em todos os restaurantes típicos da vila, mas neste garantes um atendimento inexcedível, o pagamento justo por uma óptima refeição e uma aguardentezinha para toque final. Convém ir com paciência para esperar, avisamos já.

4 – Conhecer a Escola do Rock
A comemorar a 25.ª edição, o Festival Paredes de Coura leva ao palco a Escola de Rock, extensão quase natural da difusão musical proporcionado desde os anos 90 pelo festival. São músicos formados pela Escola e abrem o festival para tocar temas conhecidos de bandas que inclusivamente já passaram por ali, como Arcade Fire, Sonic Youth ou Pixies.

5 – Suar as estopinhas com Future Islands
Acompanhar o power, a sensualidade e a paixão da voz de Sam Herring vai ser um dos enormes desafios desta edição. Os Future Islands têm dado concertos incríveis no nosso país (por exemplo, no Musicbox e no NOS Alive) e tudo indica que este não será exceção, agora com The Far Field na bagagem.

https://www.youtube.com/watch?v=MlQunle406U

6 – Questionar o mundo com Kate Tampest
A arte de dizer o que de errado se passa no mundo não é para todos – ou todas – e Tempest, a jovem inglesa que assegura que a Europa está perdida, é uma das vozes que o tem feito de forma mais poética e assertiva. Um concerto-performance, de facto, imperdível.

7 – Sentir o eurodance com Gin Party Soundsystem
Se ainda não participaste no suadouro exaltado que anualmente se tem instalado no Xapas esta é a oportunidade de ouro para perder uns quilos num dos bares mais antigos da vila a ouvir clássicos do eurodance. Mas, como já é conhecido, sempre com a máxima “divertir sem estragar”.

8 – Escutar Vozes da Escrita
A atriz Catarina Wallenstein e o irmão Tomás, vocalista dos Capitão Fausto e os também músicos Marta Ren e Miguel Guedes apresentam-se em duplas, no Palco Jazz na Relva, para sessões de leitura. Para ouvires e sentires na quinta e sexta-feira.

9 – Dar espetáculo à beira-rio
É óbvio que por esta hora o rio Taboão está já cheio de barquinhos de borracha, flamingos e unicórnios – mas também de muitos acrobatas a mandar altas bombas. Fazer uma destas coisas é imprescindível para levar esta experiência a sério. Até pode ser que haja alguma marca a dar prendas aos mais arrojados saltos.

10 – Ter um por de sol perfeito com Car Seat Headrest
Do bandcamp para o mundo. O genial Will Toledo já fez vibrar o NOS Primavera Sound, o ano passado e este ansiado regresso vai ser certamente celebrado com enorme animação debaixo do quase hino (Joe Gets Kicked out of School for Using) Drugs with Friends (But Says This Isn’t a Problem).

https://www.youtube.com/watch?v=WjnEkJa2Law

11 – Levar tareia com At The Drive-In
Este abençoado regresso da banda texana foi um dos gloriosos momentos de 2016 e a passagem pelo anfiteatro natural de Coura prevê-se avassaladora perante aquilo que sabemos que os rapazes costumam fazer em palco. Já se imagina a nuvem de pó a subir aos céus.

12 – Sentir o “novo” Nick Murphy
Adeus, Chet Faker; olá, Nick Murphy. A mudança de identidade, que ocorreu há menos de um ano, pode ser testemunhada nesta transição musical da qual se conhece por agora o incrível single Stop Me (Stop You) e o EP Missing Link.

13 – Tomar um banho de água quente nas piscinas municipais
O banho de água gelada no campismo é um clássico do festival mas se precisares mesmo de um elixir, vai às piscinas municipais e por cerca de 1,5 euros tomas um banho quentinho.

14 – Ir a uma Vodafone Music Session
Um espigueiro, o quartel dos bombeiros, uma fábrica de calçado ou o pátio de uma família minhota, foram alguns dos espaços que já acolheram concertos secretos e intimistas proporcionados pela Vodafone. A banda e o local escolhido está no segredo dos deuses e só tens de ter a sorte de conseguir entrar no autocarro que diariamente apanha os felizes contemplados junto à entrada do recinto. A experiência será encantadora.

15 – Divagar com BADBADNOTGOOD
Os canadianos BBNG trazem a Paredes de Coura a definição do próprio festival: liberdade, improvisação, reinvenção, irreverência. Fãs de hip hop com o jazz como fio condutor, o trio lançou um dos discos mais bem recebidos do ano passado, IV, e prevê-se uma excelente receção em Coura.

https://www.youtube.com/watch?v=xf6aq2XPwkI

16 – Celebrar o rock com Japandroids
Dois tipos em palco a fazer muito e bom barulho. Ainda agora o provaram no Primavera Sound e regressam a Coura – onde estiveram em 2012 – para mostrar Near to the Wild Heart of Life, o mais recente disco, e por à prova o teu corpo no mosh.

17 – Ver estrelas cadentes com Beach House
Uma das mais belas coisas das frias noites de Coura é a quase chuva de estrelas que de volta e meia surpreende durante os concertos. Oxalá este ano decorra na estreia da dupla mais fofinha da dream pop no Minho. Mas mesmo que tal não aconteça no céu, vai certamente dar-se em palco.

18 – Fazer amigos (e amores) para a vida
Se há sítios bons para conhecer pessoas são os festivais, porque o sentimento de partilha é o mesmo. Neste juntam-se os quilómetros percorridos, as noites de campismo, a ambiência especial do Minho, aspectos que conjugados proporcionar-te-ão fazer amigos para sempre. Conhecemos até longos namoros que começaram ali.

19 – Escutar os novos temas de Manel Cruz
Manel Cruz é um fã confesso do festival e este ano volta ao palco para cantar novos temas e recuperar outros tantos que fazem parte das suas belas composições. O concerto acontece com o sol ainda a pino e vislumbramos daqui um entardecer para lá de memorável.

20 – Conhecer Alex Cameron
Andou em tour com Mac DeMarco e Kevin Morby e tem conquistado cada vez mais público. Com uma performance habitualmente teatral adivinha-se o nascimento de uma bela amizade com o público courense.

https://www.youtube.com/watch?v=dHBCMLrW-l4

21 – Emocionares-te com Benjamin Clementine
Se a nossa sensibilidade não falha, perante o ambiente que Paredes de Coura proporciona, Clementine terá o anfiteatro aos seus pés e o público terá o músico carregado de emoções consigo. Foi assim com Charles Bradley, um dos momentos mais marcantes na história recente do festival, e prevê-se algo semelhante aqui.

22 – Dar tudo no mosh pit com Ty Segall
Apesar de ter apenas 30 anos, o enfant terrible tem largado discos como poucos e é já bem conhecido do público português que, com ele (a solo ou com o seu outro projeto Fuzz) já pintou o caneco em Paredes de Coura. Vai ser certamente um bom encontro entre amigos.

23 – Sentir de tudo com os Foals
Não são desconhecidos do público português, que já os viu noutros festivais e sempre os recebeu da forma como eles se entregam: com garra, emoção e dedicação. São uma das melhores bandas de rock alternativo que vimos em palco nos últimos anos e em Paredes de Coura a simbiose com o público vai ser tal que já estamos com pele de galinha só de pensar.

24 – Ficar até ao fecho do Palco After-Hours
Se queres sentir a humidade minhota entrar-te nos ossos, permanece no Palco After-Hours que este ano tem nomes como Jambinai, Roosevelt ou Throes + The Shine seguidos de huntz huntz com Marvin & Guy, Red Axes e Nuno Lopes. Se aguentares, és um herói!

25 – Programar a ida do próximo ano
Será rara a pessoa que sentiu Paredes de Coura só uma vez, sendo daqueles festivais que, ao longo de 25 edições, levou muitos repetentes. Podemos enganar-nos muito, mas também vais querer voltar. O melhor é começar a planear já a próxima temporada.

Os passes gerais para o Vodafone Paredes de Coura encontram-se esgotados e os bilhetes diários custam 45 euros.

Mais Artigos
Isto É Gozar Com Quem Trabalha
SIC domina horário nobre com ‘Isto É Gozar Com Quem Trabalha’ e ‘Hell’s Kitchen’