A 70ª Edição do Festival de Cinema de Locarno já chegou ao fim e Portugal foi, novamente, bem representado. Embora com apenas dois filmes a concurso, o cinema português venceu uma competição e recebeu uma menção especial.

O documentário português António e Catarina, de Cristina Hanes, venceu o Concurso Internacional de Curtas Pardi di Domani, que premeia curtas-metragens de jovens realizadores independentes ou estudantes de cinema. O filme, produzido pela Terratreme Filmes, foi filmado em Lisboa, integrando o DocNomads, um mestrado internacional de cinema documental com intercâmbio entre três universidades de diferentes países: Portugal, Hungria e Bélgica. O documentário retrata, através de vários encontros filmados, a relação entre a realizadora e Augusto Martinho, um dos primeiros portugueses que conheceu durante o mestrado.

Augusto Martinho em António e Catarina – Terratreme Filmes

Num comunicado de imprensa, a realizadora revelou que lhe é difícil falar do filme, pois foi surpreendida após o término das rodagens pelo falecimento de Augusto. No mesmo comunicado, o produtor Tiago Hespanha afirma que a vitória em Locarno “é um reconhecimento extraordinário que vem premiar um filme simples, movido pela urgência e o instinto de uma realizadora jovem com uma grande sensibilidade e enorme talento.”

Menção Especial

Por sua vez, o filme Verão Danado, de Pedro Cabeleira  que concorreu na competição secundária Locarno Cineasti del Presente – recebeu uma menção especial. Uma apreciação semelhante à recebida por É na Terra, Não é na Lua de Gonçalo Tocha, em 2011.

O realizador de 25 anos, que auto-produziu o filme, demonstrou-se surpreendido, afirmando que o que de melhor retira da menção é a possibilidade de divulgação do filme, frisando que o mais importante é que o mesmo seja visto.

Para saberes os vencedores das restantes categorias, lê abaixo os laureados.

Vencedores do Festival de Locarno

Concurso Internacional

Leopardo de Ouro: Mrs. Fang, de Wang Bing (China, Hong Kong, França)

Prémio Especial do Júri: As Boas Maneiras, de Juliana Rojas e Marco Dutra (Brasil, França)

Melhor Realizador: F. J. Ossang, por 9 Doigts (França, Portugal)

Melhor Actriz: Isabelle Huppert, por Madame Hyde de Serge Bozon (França, Bélgica)

Melhor Actor: Elliot Crosset Hove, por Winter Brothers de Hlynur Palmason (Dinamarca, Islândia)

Cineasti del Presente

Leopardo de Ouro: ¾, de Ilian Metev (Bulgária, Alemanha)

Prémio Especial do Júri: Milla, de Valérie Massadian (França, Portugal)

Melhor Realizador Emergente: Kim Dae-hwan, por The First Lap(Coreia do Sul)

Menção Especial: Distant Constellation, de Shevaun Mizrahi (EUA, Turquia) e Verão Danado, de Pedro Cabeleira (Portugal)

Pardi di Domani (Curtas-Metragens)

Pardino d’Oro Concurso Internacional: António e Catarina, de Cristina Hanes (Portugal)

Pardino d’Oro Concurso Suíço: Rewind Forward, de Justin Stoneham (Suíça)

Pardino d’Argento Concurso Internacional: Shmama, de Miki Polonski (Israel)

Pardino d’Argento Concurso Suíço: 59 Secondes, de Mauro Carraro (Suíça)

Nomeação para os Prémios Europeus de Cinema: Jeunes hommes à la fenêtre, de Loukianos Moshonas (França)

Signs of Life

Cocote, de Nelson Arias (República Dominicana)

Melhor Primeira Obra

Scary Mother, de Ana Urushadze (concurso Cineasti del Presente) (Geórgia)

Prémio do Público

Three Peaks, de Jan Zabeil (Alemanha)