Está entregue o dossier da candidatura que propõe o Porto como futura sede da Agência Europeia do Medicamento. A Invicta criou ainda um website e um vídeo que está a emocionar as redes sociais.

A Agência Europeia do Medicamento (European Medical Agency, EMA) terá de deixar a sua localização atual no Reino Unido em março de 2019. Esta obrigação decorre do processo do Brexit e são 19 os estados da União Europeia que se candidataram à sua relocalização.

Em julho, o Conselho de Ministros validou a candidatura da cidade do Porto, por considerar que é a cidade que “apresenta melhores condições para acolher a sede daquela instituição”.

Na escolha foram ponderados fatores como a segurança, a saúde, a ligação com o aeroporto, a capacidade hoteleira e a rede de transportes públicos.

Aumento de empregabilidade é uma das vantagens

Uma eventual localização da agência na cidade do Porto trará vários benefícios, tanto a nível local, como nacional. O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, salientou as oportunidades para os investigadores e peritos nacionais na área farmacológica. O aumento da empregabilidade é um fator a considerar, uma vez que 20% dos atuais funcionários da instituição já revelaram que não pretendem abandonar o Reino Unido.

De acordo com Ricardo Valente, vereador do Município do Porto, são três os locais dotados da capacidade necessária para acolher a EMA: o Palácio Atlântico, o Palácio dos Correios e alguns edifícios a construir na Avenida Camilo.

No âmbito desta candidatura, a Invicta lançou o website Ema in Porto e um vídeo que tem conquistado as redes sociais e que, desde ontem, já conta com quase 5000 partilhas no Facebook. Imagens de recantos, paisagens e monumentos que compõem a cidade surgem por todo o vídeo, envolvidas por relatos de narradores de diversas nacionalidades que, na sua língua-mãe, contam por que motivos o Porto as conquistou.

Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, referiu que a instalação da EMA no Porto “não vai ter custos para Portugal. Isto não é o Euro do futebol. Não vamos construir estádios para receber a EMA”.

Augusto Santos Silva, ministro dos Negócios Estrangeiros afirmou que a responsabilidade de condução deste processo cabe agora ao Ministério dos Negócios Estrangeiros. A cidade que acolherá a EMA será conhecida em novembro.