Os teus avós lavavam os sacos de plástico, reutilizavam os pacotes de arroz e massa, comiam carne nas ocasiões especiais e a fruta e os legumes saiam do quintal para o prato. Hoje os sacos e a carne são banais, mas encontrar quem tenha a sua própria horta é algo mais raro. Mas porque a sustentabilidade é um tema que não pode sair de moda, queremos que voltes a olhar para o que os teus avós faziam e sigas estes passos para uma alimentação mais sustentável, preocupada com o planeta.

1. Diminui o consumo de carne na tua alimentação

Este é um daqueles atos que te vai permitir melhorar a tua saúde enquanto te preocupas com o meio ambiente. Não faltam motivos para optares por comer menos carne: poupas na carteira e diminuis o risco de doenças cardíacas, entre muitos outros benefícios que isso vai trazer para a tua saúde.

Pensar numa alimentação mais sustentável tem de passar por reduzir o consumo de carne. A indústria pecuária é uma das principais responsáveis pela desflorestação e emissão de gases de efeito de estufa.

Se precisares de motivação, podes começar por aderir ao movimento “Segundas sem carne” e não comer qualquer refeição que contenha carne ou peixe no primeiro dia da semana.

2. Não uses copos ou talheres descartáveis

A não ser que seja mesmo necessário, não utilizes copos nem talheres descartáveis. São objetos que só vais usar uma vez e deitar fora. Na tua lancheira usa talheres de metal e em piqueniques opta por opções que possas lavar e reutilizar.

3. Evita utilizar sacos de plástico no supermercado

Precisas mesmo de um saco de plástico transparente para levar um cacho de bananas? E de outro para colocar uma cebola? E de chegar a casa com dez sacos de plástico, cada um só com duas ou três peças de fruta, que vais juntar à montanha de sacos naquela gaveta que já não consegues fechar?

Da próxima vez que fores às compras, pensa se o que estás a comprar precisa mesmo de ser transportado num saco. Podes também juntar vários produtos no mesmo saco de plástico, desde que tenhas o cuidado de os separar quando chegares à caixa. Se tiveres essa hipótese, opta por comprar em locais que, em vez de sacos de plástico, utilizam de papel.

4. Come mais fruta e vegetais

Esta é outra daquelas atitudes que não só tem um enorme impacto ambiental, como também na tua saúde. Temos a certeza que já sabes os benefícios que comer mais verdes traz à tua saúde, mas é também mais eficiente. Consumir proteínas vegetais, em vez de animais, implica um menor gasto de energia.

Quando uma planta é consumida por um animal, que por sua vez vais consumir, há todo um processo de transmissão de matéria e gasto de energia. Logo, quanto maior for a cadeia alimentar, ou seja, quanto mais seres vivos fizerem parte dela, mais energia se vai perder, desde o produtor (por exemplo a planta) ao consumidor final (que no caso somos nós).

Explicámos-te como isto funciona na natureza. Agora pensa em termos da população mundial. Em vez de ocupar hectares de terreno com culturas para alimentar animais, que por sua vez são apenas produzidos para nos alimentar, podemos optar por consumir mais vegetais e diminuir os gastos de energia, água e bens necessários à produção animal.

5. Consome produtos biológicos, de preferência produzidos em Portugal

Além de não conterem tantos químicos, prejudiciais à saúde, os produtos biológicos têm a vantagem de preservarem os lençóis subterrâneos, protegerem as espécies selvagens e beneficiarem os ecossistemas. Se os produtos forem produzidos em Portugal, menos gastos serão necessários para o transporte, o que mais uma vez beneficia o meio ambiente.

6. Esquece as garrafas de plástico

Não queremos que deixes de beber os dois litros de água que precisas por dia, mas se andas sempre com uma garrafa de água sempre atrás de ti, o melhor é escolheres uma de vidro. Além de evitar que alguns componentes do plástico passem para a água (os famosos BPA), escolher uma garrafa de vidro é optar por um objeto que vai durar mais tempo e não tem um impacto tão grande em termos ambientais.

7. Usa menos papel de cozinha e de alumínio

Há uma enorme discussão sobre o perigo do papel de alumínio para a saúde e alimentação. No entanto, não é preciso discutir que deitamos fora, ao fim do ano, quilos de papel de cozinha e alumínio, que podiam ser evitados. Opta por panos de tecido para a limpeza e caixas para transportar os alimentos de forma segura.

8. Evita as doses individuais e compra mais produtos avulso

Sabemos que é muito mais prático comprar pequenas doses, que nos facilitam imenso quando precisos urgentemente de agarrar numa coisa rápida para comer e sair, mas com isso produzes muito mais lixo. Já reparaste na quantidade de plástico e cartão necessário para embalar, por exemplo, uma caixa de bolachas com doses individuais?

Opta por embalagens grandes e usa caixas próprias para alimentos quando precisares de transportar pequenas quantidades. Quanto maior a embalagem, menos plástico e papel será necessário do que se comprares a mesma quantidade em doses mais pequenas.

Se conseguires, compra os produtos avulso. Além de serem mais baratos, evitas, mais uma vez, o plástico e o papel usados na embalagem.

Alimentação