Chega por fim o culminar da época balnear, o mês mais quente, o rebuliço da atividade veraneante. Como não queremos que te falte ocupação naquelas horas de maior calor, o Espalha-Factos traz-te as novidades literárias para agosto – que, esperamos nós, não resultem em nenhum escaldão.

A Árvore das Mentiras

agosto

Foto: Wook

Frances Hardinge, Editorial Presença

2 de agosto | 15,21€ (Wook)

Obra vencedora do Prémio Costa para Melhor Livro de 2015, chega-nos a tradução portuguesa por Maria José Figueiredo. Após a morte do seu pai, Faith herda a árvore das mentiras, uma árvore que se alimenta de mentiras e produz um fruto que revela verdades ocultas. Decidida a usá-la para desvendar a verdade por entre as circunstâncias misteriosas da morte do seu pai, Faith acaba por perder o controlo das falsidades que faz circular – e apercebe-se de que a mentira pode seduzir, e a verdade, estilhaçar.

O Guardião dos Objetos Perdidos

agosto

Foto: Wook

Ruth Hogan, Editorial Presença

2 de agosto | 13,20 (Wook); 14,85€ (Fnac)

Numa tentativa de se redimir por uma promessa há muito quebrada, Anthony Peardrew passa metade da sua vida a guardar objetos perdidos que encontra. Já perto do fim da sua vida, deixa a sua casa e os objetos que reuniu à sua assistente, Laura, e incumbe-a da missão de os restituir aos seus donos – mas esta missão tem repercussões inesperadas. Uma história sobre a memória, e os elos que os objetos criam, inesperadamente, entre nós.

Os Melhores Contos de H. P. Lovecraft – 6º volume

agosto

Foto: Wook

H. P. Lovecraft, Saída de Emergência

4 de agosto | 16,92€ (Wook); 16,93€ (Saída de Emergência)

Chega em agosto o sexto volume da coleção Os Melhores Contos de Howard Phillip Lovecraft, uma coletânea do mestre horror clássico. Com organização e tradução do Professor José Manuel Lopes, este volume dá continuidade ao espólio literário de um dos nomes mais icónicos do horror do século XX, que redefiniu o género e ainda inspira escritores da atualidade.

A Súbita Aparição de Hope Arden

agosto

Foto: Wook

Claire North, Saída de Emergência

4 de agosto | 15,04€ (Wook); 16,92€ (Fnac); 16,93€ (Saída de Emergência)

Começou quando Hope tinha dezasseis anos. O seu pai esqueceu-se de a levar à escola, um professor esqueceu-se que ela era sua aluna. A sua mãe pôs mesa para três, em vez de quatro, e um amigo olhou para ela como se fosse uma estranha. Hope é a rapariga de que ninguém se lembra: primeiro esquecem o seu rosto, depois a sua voz e, por fim, as consequências dos seus atos. Por mais pessoas que magoe ou crimes que cometa, é sempre esquecida – e é isso que a torna perigosa.

Lê também: Sem tempo para ler? Damos-te seis sugestões de podcasts de ficção e literatura

Mr. Vertigo

agosto

Foto: Wook

Paul Aster, Edições ASA

28 de agosto | 13,52€ (Wook)

Walter Clairborne Rawley é um órfão resgatado das ruas pelo Mestre Yehudi, que promete ensiná-lo a voar. Nesta bizarra demanda, percorrem os EUA do final dos anos 20, era de Al Capone, Charles Lindbergh e Babe Ruth. Cruzam-se com vilões, ladrões e pecadores, desde o Klu Klux Klan à máfia de Chicago, enquanto Walter ascende à fama como Rapaz Prodígio e é constantemente posto à prova. Uma história de adaptação e resistência que espelha a passagem da América à maioridade. Afinal, voar até é simples.

Atos Humanos

agosto

Foto: Wook

Han Kang, Dom Quixote

29 de agosto | 11,92€ (Wook)

Coreia do Sul, 1980. Emergem protestos de estudantes por todo o país contra o fecho de universidades e a falta de liberdade de expressão. Na região de Gwandju, porém, a repressão foi tão violenta que toda a população se juntou aos protestos, originando um dos piores massacres da história do país e uma contagem de mortos e desaparecidos ainda desconhecida por inteiro.

Dong-ho foi com o seu melhor amigo à manifestação, mas quando ouviu os tiros, largou-lhe a mão e fugiu. Agora, procura o seu corpo por entre os cadáveres de uma morgue improvisada. Esta é a história de todas as pessoas que se cruzaram com Dong-ho, antes e depois da fatídica noite: os que morreram, os que foram capturados e torturados, aqueles a que os traumas calaram, e aqueles que sabem que é necessário relembrar os horrores de que a humanidade é capaz.