Um festival à beira mar plantado. É assim que o NOS Summer Opening se apresenta aos festivaleiros da ilha da Madeira, mais precisamente no Parque de Santa Catarina, Funchal. Este ano, o festival encheu-se (e ainda bem) de música portuguesa, do hip-hop ao reggae, passando pelo pop, tudo bem juntinho em oito concertos e muitas estreias em palco madeirense.

O primeiro dia, na sexta-feira, foi entregue a Seu Jorge, o cabeça de cartaz que trouxe na bagagem o tão querido MPB, numa mistura com R&B e soul que deita cá para fora na voz serena que todos lhe conhecemos e que deixa a plateia rendida.

No mesmo dia, pisaram o palco a banda SOU, o coletivo de hip-hop tuga escolhido pelo público no concurso lançado pela organização do festival. Houve tempo para ÀTOA e Bezegol.

Num salto de gigante para o segundo dia, no sábado, Nelson Freitas atraiu miúdos e graúdos para junto do palco. O cantor de Bo Tem Mel fez mexer as ancas de todos os festivaleiros, com êxitos como Miúda Linda e Break of Dawn.

Antes do cabeça de cartaz, estiveram Sam the Kid e Mundo Segundo, a dar uma lição do bom hip-hop que se continua a fazer por cá. Dillaz foi outro dos artistas premiados com uma recepção de bradar aos céus, sobretudo pelos mais jovens, que rebentaram a escala de euforia quando soaram os primeiros acordes de Protagonista sob o calor húmido da Madeira.

Os Men on the Couch, um grupo formado por 4 jovens que dividem o tempo entre os estudos e a música, apresentaram-se no NOS Summer Opening com um estilo muito característico e uma sonoridade indie rock que era mais que necessária num festival tão heterogéneo como este.

Texto: Miguel Lopes
Fotografia: Elizabeth Vieira