Estamos a três episódios do final da quinta temporada de Nashville – com uma sexta já confirmada para o outono. E se nós achámos que esta série tinha por hábito pôr o público a chorar, o episódio desta semana conseguiu ultrapassar essa linha. You Can’t Lose Me estreou no canal CMT no dia 20 de julho.

Vamos diretos ao verdadeiro sumo do episódio. Após o ataque da semana passada, Scarlett (Clare Bowen) acorda e descobre os lençóis manchados de sangue. No médico, é informada de que sofreu um aborto espontâneo e o coração da sua bebé parou de bater.

Para além de dores e lágrimas intermináveis da própria Scarlett, também Gunnar (Sam Palladio) fica naturalmente agitado com a notícia. Ele chega até a perseguir e espancar o rapaz que os atacou no final do último episódio, percebendo rapidamente que tal vingança nunca seria capaz de ressuscitar o bebé.

Deacon, ao saber da notícia, decide confidenciar a mágoa em Jessie (Kaitlin Doubleday) e eis que esta aparece à porta de casa de Scarlett. Pelos vistos, também ela sofreu dois abortos, um voluntário e outro espontâneo. Como tal, está aqui para prestar apoio e conselhos à protagonista, através de conversa, chá e sessões de cinema.

Toda esta trama foi um tópico sensível e difícil de analisar para mim, enquanto rapaz, por não me ver sequer reflectido nele. Contudo, a prestação de todos os atores merece destaque e admito que o tema foi tratado de forma cuidada. Clare Bowen foi excecional ao mostrar sentimentos de perda, fragilidade e luto.

Do outro lado da cidade, a música Water Rising de Juliette (Hayden Panettiere) está a ser um autêntico sucesso, embora esta ainda sinta remorsos de a ter roubado de Maddie (Lennon Stella) sem o conhecimento da jovem.

Mas eis que o feitiço se vira contra o feiticeiro. Numa festa para a imprensa, Maddie cruza-se com o escritor da música e este explica como achava que tinha sido ela própria a recusar a canção, quando nunca lhe chegou sequer às mãos. Maddie decide tornar o evento num fiasco ao gritar com Juliette e atirar-lhe uma bebida para a cara.

Juliette tenta desculpar-se mas, por enquanto, sem sucesso. Sejamos sinceros: este problema não chega sequer aos calcanhares de outros dramas nos quais a protagonista já se meteu e tenho a certeza de que Maddie ultrapassará o assunto num piscar de olhos.

Sendo o episódio dedicado a Scarlett, é ela que o encerra, ao admitir aos amigos e família mais próxima de que sofreu o aborto, como forma de mostrar que não tem vergonha do assunto. Com uma versão lindíssima de Forever, Scarlett dedicada à filha que acabou por não nascer e deixa-nos a todos com lágrimas nos olhos.

NOTA: 7/10