Não é uma Estrela Michelin, nem quer ser. O Bistro 100 Maneiras, restaurante do chef Ljubomir Stanisic, foi considerado o melhor nos prémios Restaurant Awards da revista Monocle.

De acordo com os jornalistas desta publicação, o estabelecimento do cozinheiro jugoslavo destaca-se por apresentar “pratos artísticos” com influências portuguesas, jugoslavas, italianas e francesas.

Defendem que são “o toque informal e o conjunto, sempre em mudança, de habitantes locais que o povoam são o ingrediente crucial” que distinguem este espaço situado no Bairro Alto e que o tornam diferente do Restaurante 100 Maneiras, um espaço “mais requintado” também propriedade de Ljubomir Stanisic.

Sugerem que, para acalmar a sede, se comece com “um cocktail refrescante e cascas de batata mergulhadas num iogurte com ervas. A seguir, a escolha pode ficar entre polvo grelhado com um risotto de lima picante ou lombo de porco com polenta de beterraba“.

É ainda destacado pela positiva o horário, até às duas da manhã, e a não-existência de qualquer pressão para que os clientes abandonem, o que os faz “prolongarem-se alegremente” por ali.

Premiar o bom serviço e os ingredientes honestos

O galardão assume querer premiar “humildes restaurantes de bairro, com staff sorridente e um serviço simples que frequentemente ficam perdidos no meio da efervescência da gastronomia de luxo”.

Para isto, a publicação diz que valoriza “refeições memoráveis, que esquecem a extravagância das Estrelas Michelin e o tédio das porções minúsculas“, o que lhe permite destacar os restaurantes mais “calorosos, honestos e interessantes“.

 

No manifesto apresentado por estes especialistas é acrescentado que os menus dos restaurantes a concurso variam entre a “comfort food” e as “especialidades regionais“, porém com alguns traços em comum: “um bom serviço e ingredientes honestos, que superam qualquer bluff ou comida da moda“.