Quando surgiu o conceito de Escape Dinner, soubemos logo que tínhamos de ir espreitar. Na Casa do Chef, onde se realizam os jantares sob esta temática, já estava tudo pronto para acolher os participantes desta estreia que podia correr muito bem ou muito mal, tendo em conta que era algo novo.

Nas diversas mesas com grupos compostos por 2, 4 ou mais do que seis pessoas, e com a sala cheia de agentes especiais, estava colocada uma folha com as regras do jogo e com uma simples instrução “O jogo começa aqui”.

Segundo essa folha, um vírus tinha contaminado o planeta e nós éramos os escolhidos para repovoar a Terra. A nossa missão? Tínhamos de descobrir os ingredientes do antídoto que nos ia curar. Mas nada temam, havia sempre um agente especial para nos dar uma mãozinha com as pistas…

Acima de tudo, a atividade era um jantar. Não vos podemos revelar como é que é o jogo começou, mas podemos dizer o que comemos: como entradas tivemos cogumelos, mas só podíamos comê-los uma vez!

Mas um dos pratos principais, o risotto de cogumelos (especialidade do chef), já podíamos devorar. Nunca chegámos a ver batatas, nem mesmo com alecrim ou salsa a temperar, mas a água não podia faltar e era um dos elementos principais na mesa (para quem não gosta de vinho e cerveja, claro).

Houve sopa, mas não das que estão a pensar. Pelo meio do desafio íamos puxando pela lógica e as nossas tentativas de adivinhar as pistas eram quase tão terríveis como decifrar código Morse. Quase parecíamos peixes fora de água a lidar com a situação. Por falar em peixes, o bacalhau espiritual também fazia parte da nossa ementa, é verdade!

A matemática não faltou à mesa, porque chegávamos à conclusão que o nosso pensamento já ia muito à frente e que a pista era simples, mesmo do género aprender a fazer contas de novo: 1, 2, 3, 4…

Bem tentámos pedir sal, mas só nos deram mel porque achavam que precisávamos de adoçar as coisas. Por entre labirintos e códigos variados, lá chegámos ao final numa hora e meia e saímos vivos. Mas isso implicou descobrirmos os ingredientes, bem como o nome do antídoto.

Foi-nos dada a sobremesa para recompensar o nosso esforço e o semifrio de morango e a salada de frutas deram lugar à ingestão do “antídoto”. Uns torceram o nariz, mas ninguém adivinhou a verdadeira composição do mesmo no final do desafio. Acreditem, vão-se surpreender quando o vosso agente especial vos disser.

A próxima sessão é no dia 28 de julho com dois turnos: das 19h30 as 22h e das 22h às 00h. Se gostam do conceito, recomendo que deem um saltinho aos Olivais para conhecer este Escape Dinner. Mas que Grand’Ideia!

Fotografias de Inês Lopes da Costa