MOTELx’17 e o cinema de terror ibero-americano

O MOTELx: Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa está de volta à capital. É entre 5 e 10 de setembro, no Cinema São Jorge e no Teatro Tivoli BBVA, que se realiza a 11.ª edição do festival com o mote O Estranho Mundo do Terror Latino. O Espalha-Factos esteve presente na apresentação à imprensa e traz-te as primeiras confirmações do festival.

O festival associa-se este ano à programação Passado e Presente, no âmbito da eleição de Lisboa como Capital Ibero-Americana de Cultura de 2017. Vão ser assim apresentados filmes e proporcionados debates e masterclasses que exploram a diversidade do cinema de terror e fantástico produzido na América do Sul e Península Ibérica, do passado até hoje.

LÊ TAMBÉM: LISBOA SERÁ A CAPITAL IBERO-AMERICANA DA CULTURA EM 2017

Homenagem a George A. Romero

Um dos primeiros pontos altos da sessão foi a revelação de que o MOTELx vai homenagear o recentemente falecido George A. Romero. O realizador, que foi considerado um “Grande Mestre”, esteve presente na 4.ª edição do MOTELx e foi responsável pela maior sessão de autógrafos de que há memória no festival.

LÊ TAMBÉM: MORREU GEORGE ROMERO, O PAI DE TODOS OS ZOMBIES

Conceito visual

O conceito visual deste ano assenta no folclore dos Diabos de Vinhais e numa estética de found footage. Destaca-se também o spot promocional, que pelo seu estilo é evocativo dos míticos snuff films.

Secção Serviço de Quarto

A secção Serviço de Quarto regressa com o objetivo de mostrar o terror mais celebrado da atualidade. Das primeiras confirmações evidenciamos:

  • El Bar, que teve a sua antestreia no último Festival de Berlim. Da responsabilidade do realizador de culto espanhol Álex de la Iglesia, esta é uma fita que prima pelo humor negro ao focar-se num grupo de estranhos que, após um tiroteio em Madrid, se vê encurralado num café;
  • Kuso, realizado pelo DJ e rapper Flying Lotus. Um filme forte numa variedade de estilos e que chegou à infâmia no último Festival de Sundance, com a Variety a descrevê-lo como “o filme mais nojento de sempre“;
  • The Limehouse Golem, realizado por Juan Carlos Medina e protagonizado por Billy Nighy. Esta é uma narrativa fictícia que versa em ataques do mítico Golem na Londres de 1880 e teve a sua antestreia que na mais recente edição do Festival de Toronto.
  • La Región Salvaje, de Amar Escalante. Vencedora do Leão de Prata no último Festival de Veneza, esta fita mexicana é inspirada no filme Possessão (1981) e retrata um contacto entre um casal e uma criatura alienígena que toma contornos eróticos.

Confirmados estão também 68 Kill, de Trent Haaga; The Endless, de Justin Benson e Aaron Moorehead; Game of Death, de Sébastien Landry e Laurence Morais-Lagace; Die Hölle, de Stefan Ruzowitzky; Hounds of Love, de Ben Young; e Meatball Machine Kudoku, de Yoshihiro Nishimura.

Mestres vivos são convidados

No chamado Culto dos Mestres Vivos, são convidados do festival Roger Corman e Alejandro Jodorowsky.

Nonagenário, Corman teve uma carreira extensa em créditos de produção, tendo lançado com a sua New World Pictures carreiras como as de Francis Ford Coppola e Martin Scorsese. Deixou a sua marca no fantástico com mais de 50 títulos por si realizados, entre os quais A Loja dos Horrores (1960) e A Queda da Casa Usher (1960). Para além de tudo isto, recebeu também um Oscar honorário em 2009.

Jodorowsky é um dos cineastas mais peculiares do mundo do cinema. A sua cinematografia avant-garde continua fascinar cinéfilos com as suas características surreais e místicas. El Topo (1970) e A Montanha Sagrada (1973) são os primeiros títulos que vêm à memória, mas o seu projeto mais recente é o autobiográfico Poesia Sem Fim, que estreou em Portugal em dezembro do ano passado.

Terror latino e ibérico dos anos 70

Há lugar para sessões especiais no MOTELx, em particular do período conhecido como “Boca do Lixo” do cinema de terror brasileiro, com Excitação (1976) de João Garrett.

Na secção Quarto Perdido, que tem vindo a descortinar terror português caído no esquecimento, surgem-nos Crime de Amor (1971), de Rafael Moreno Alba e O Espírita (1976), de Augusto Fernando, filmes que constituíram na época uma tentativa de estimular o cinema português. “Falharam, obviamente“, reparou a organização para riso da imprensa, mas é esse trunfo kitsch que tem dado vida à secção.

Secção Lobo Mau

A programação dedicada aos mais novos vai, para já contar com duas exibições de O Livro da Vida, realizado por Jorge R. Gutiérrez e produzido por Guillermo del Toro; três sessões de curtas-metragens, as Sustos Curtos; um peddy paper no Cinema São Jorge; e um workshop de Programação Informática com a Academia de Código.

App MOTELx

O MOTELx contará, pela primeira vez, com uma app móvel oficial. A App MOTELx estará disponível para iOS e Android e terá disponível a programação completa do festival, entre outras funcionalidades. A organização afirma que quem descarregar a appvai saber e gritar mais do que os outros“.

O MOTELx está de volta a Lisboa de 5 a 10 de Setembro. O Espalha-Factos esteve na apresentação à imprensa e traz-te as novidades.Warm-up

Durante o já habitual warm-up que precede o festival (este ano de 31 de agosto a 2 de setembro) destacam-se sessões de clássicos do cinema de terror latino na Cinemateca Portuguesa e cinema ao ar livre no Largo de São Carlos e na Rua da Moeda. Haverá também um concerto dos Acid Acid no Lounge, com um ambiente inspirado na cinematografia de Alejandro Jodorowsky.

Um festival que nunca abranda

Desde a sua primeira edição que o festival tem vindo a incentivar o cinema de género em terras lusas. Para ajudar essa causa, o festival é o representante português na Federação Europeia de Festivais de Cinema Fantástico e possui ainda o selo europeu de qualidade da Associação de Festivais Europeus.

Desde 2009 que é entregue o Prémio MOTELx: Melhor Curta de Terror Portuguesa e no ano passado foi introduzido o Prémio MOTELx: Melhor Longa de Terror Europeia. Em ambas as competições, que decorrem também nesta edição, está associado à vitória o Méliès d’Argent, e a integração na competição internacional Méliès d’Or: Melhor Curta-Metragem Europeia.

A competição Yorn microCURTAS, presente no festival desde 2013, é também um dos pontos altos do mesmo. A competição é composta por curtas até dois minutos, filmadas com telemóveis, tablets ou smartphones. Este ano as inscrições prolongam-se até 26 de agosto.

A audiência do MOTELx tem vindo a aumentar a olhos vistos. Se a primeira edição atraiu cerca de 4 mil espetadores, no ano passado o número ultrapassou os 18 mil. Foi a maior quantidade de público de sempre, num festival que cresceu no coração dos cinéfilos lisboetas e também estrangeiros.

Para mais informações sobre o MOTELx: Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa podes visitar o site oficial do festival.

 

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Inês Castel-Branco
‘Para a Vida Toda’. Conhece o elenco da nova telenovela da TVI