Na sequência da polémica do boicote cultural não respeitado pelos Radiohead, agora foi a vez de Roger Waters expressar a sua opinião sobre a atitude de Thom Yorke. O cantor da mítica banda britânica Pink Floyd realçou que Yorke tem estado constantemente a “lamuriar-se”, sem perceber o que realmente está em causa.

O concerto em Tel-Aviv, Israel, continua agendado para esta quarta-feira (19). Como já tinha referenciado, Thom Yorke é contra o boicote cultural e opõe-se também às várias personalidades que têm advertido a banda britânica. Nomeadamente a Roger Waters. Yorke desaprovou que o artista tenha vindo manifestar-se publicamente, ao invés de se dirigir pessoalmente à banda britânica.

Numa discussão transmitida pelo Facebook Live, Waters respondeu finalmente.

“A minha resposta às pessoas que dizem que devíamos ir lá e sentarmo-nos à volta da fogueira e cantar canções: Não, não devíamos”. Waters ainda declarou que “alguém que está tentado a fazer isso, como os Radiohead, devia ao menos educar-se a si próprio”.

“Eu sei que o Thom Yorke tem estado a lamuriar-se sobre como se sente insultado. As pessoas estão a sugerir que ele não sabe o que está a acontecer”.

Roger Waters ainda respondeu à acusação de não ter falado com os Radiohead em pessoa.

Thom, tu não te devias sentir insultado porque se tu entendesses o que está a acontecer, tu terias uma conversa com [o cineasta] Ken Loach, que tem estado a implorar-te por uma conversa, ou comigo. Eu implorei-te, Thom. Enviei-te inúmeros e-mails, para que pudéssemos ter uma conversaTu ignoraste-nos a todos, não falas com ninguém acerca de nada. É esse tipo de isolamento que não ajuda ninguém.

Quem está mais contra o boicote?

Há muita hostilidade para com o grupo britânico tocar em Israel. Em conjunto com Roger Waters, também Ken Loach demonstrou o seu descontentamento pelo comportamento da banda. Este até declarou que “os Radiohead têm de decidir se estão do lado do lado dos oprimidos ou do opressor”.

Em resposta a isto, Yorke apenas disse que “tocar num país não é o mesmo que apoiar o seu governo”. Para sustentar esta ideia, o cantor deu o exemplo da América e do presidente Trump. Embora não o apoiassem, continuavam a tocar nos Estados Unidos e ninguém se queixava disso.

Contudo, nem só os Radiohead estão contra o boicote cultural. A seu lado estão celebridades como J.K. RowlingNoam Chomsky e especialmente Michael Stipe, cantor da banda R.E.M..

Foi este domingo que Stipe publicou uma foto no seu Instagram, apoiando a permanência do concerto dos Radiohead.