O Museu de Arte, Arquitetura e Tecnologia (MAAT) encontra-se entre os nomeados para Edifício do Ano na mais recente edição de World Building of The Year. O edifício localiza-se no coração de Lisboa, em Belém e é assinado pela arquiteta britânica Amanda Levete.

Com menos de um ano de existência, o MAAT apresenta-se com o único representante português nesta entrega de prémios. Projetado para a Fundação EDP, esta obra engloba cerca de 38 mil metros quadrados que começam a chegar aos olhos do mundo.

Ao lado deste Museu estarão 15 outros específicos espalhados por todo o mundo na categoria Cultura. Entre a competição destacam-se a Galeria Nanoco no Vietmane e o Museu de Artes de Nantes. O canal CCN destacou o MAAT pelos vários propósitos e desenho que permite que toda a estrutura seja desfrutada.

Todo o edifício foi criado com o objetivo de que fosse mais do que um Museu: o objetivo era que se tratasse um espaço onde as pessoas pudessem vir “não apenas como um Museu”, explicou Amanada Levete aquando da inauguração da obra. “Um local de espaços públicos, onde as pessoas se podem encontrar”, acrescentou.

A influência e alcance do MAAT é algo de reconhecimento internacional. A arquitetura e beleza únicas do local fazem com que se torne um local de passagem quase obrigatória em Lisboa. Para teres uma ideia, no Instagram a hashtag #MAAT ultrapassa as 140 mil publicações. A página do Museu, na mesma rede social, ronda os 18 mil seguidores.

O resultado desta nomeação será anunciado durante o World Architecture Festival em Berlim, nos dias 15, 16 e 17 de novembro. O certame, que teve local de nascimento em Barcelona, ocorre pela segunda vez na capital alemã. São um total de 20 categorias e quase 70 países que esperam encontrar reconhecimento nesta entrega de galardões.