Narcos, a série de sucesso da Netflix que acompanhou as façanhas criminosas do cartel colombiano de Pablo Escobar, tem regresso marcado aos ecrãs dia 1 de setembro, de acordo com a página oficial da plataforma no Facebook.

Depois de duas temporadas e 20 episódios cheios de adrenalina, Narcos depressa se tornou uma daquelas séries “obrigatórias”. Começa com a apresentação de Pablo Escobar (Wagner Moura), um contrabandista colombiano, no mundo do tráfico de cocaína. Conhecemos também Steve Murphy (Biyd Holbrook) e Javier Peña (Pedro Pascal), ambos ao serviço da DEA

Narcos: Javier Pena

Um dos pontos fortes de Narcos é, sem dúvida, a história e as interpretações impecáveis das personagens. É fascinante ver a transformação de Murphy ao longo das duas temporadas e a fome por poder e respeito de Pablo Escobar que, mais tarde, se revelou fatal. Em Narcos, há três grupos que se destacam: O cartel de Escobar, conhecido como cartel de Medellín, a DEA, onde encontramos Murphy Peña, e o cartel de Cali, liderado pelos irmãos Gilberto Rodríguez Orejuela (Damián Alcázar) e Miguel Rodríguez Orejuela (Francisco Denis), assim como o terceiro sócio Pacho Herrera (Alberto Ammann).

Narcos: a ascensão de um novo império

É com o cartel de Cali que a terceira temporada de Narcos arranca, tal como se previa no final da segunda temporada, com a morte de Pablo Escobar. A Netflix, na sua página oficial de Facebook, divulgou também um pequeno trailer com imagens do novo enredo dos narcotraficantes colombianos:

Ao que aparenta, o terror das drogas não acabou e, com toda a atenção que Pablo Escobar estava a receber, o cartel de Cali tornou-se o maior grupo de tráfico de cocaína no mundo. Se achávamos que ninguém podia ser pior que Pablo Escobar, podemos estar enganados,  Javier Peña avisa: “Fingir que estes tipos não eram tão maus como aquele que os antecedeu… é um erro”.  Ficamos assim com um aviso, e a promessa de uma terceira temporada a estrear em setembro.