Emilia Clarke, atualmente mais conhecida como a Mãe de Dragões, deu uma entrevista à Rolling Stone onde não teve papas na língua. Discutiu vários temas, desde a sua infância, à entrada no mundo de Hollywood. Deu também algumas dicas sobre a próxima temporada de Game of Thrones.

O papel de Daenerys Targaryen impulsionou a atriz na indústria, e tornou-a conhecida por todo o mundo. Inicialmente, a compatriota Tamzin Merchant tinha sido a escolhida para Khaleesi. Porém, por motivos desconhecidos ao público, decidiu sair após as filmagens do episódio piloto e foi Emilia Clarke que ficou com a vaga.

A personagem que interpreta influenciou-a grandemente, até porque acompanhou o seu crescimento. “É o meu início, meio e fim. Não consegues ser a Mãe de Dragões sem algumas mudanças.”

A sua jornada como Khaleesi está a chegar ao fim e Emilia ainda não tem a certeza de como vai lidar com isso. “Haverá um abanão na minha personalidade. Sinto que só vou compreender o que foram os últimos sete anos quando parar.”

Em relação à próxima temporada da série, deixou algumas dicas. Será espetacular, como sempre, mas há mais. “Spoiler alert – normalmente não passo muito tempo em Belfast, mas nesta última temporada estive mais presente lá.”

 

Em Belfast encontram-se os Titanic Studios, onde filmam os interiores de, por exemplo, a Eyrie, a Sala do Trono e o Septo de Baelor. Os castelos Ward e Audley, que serviram de fundo na primeira e segundas temporada, também se encontram nesta localidade.

“É uma temporada muito interessante, as pontas soltas foram atadas e os rumores vão ser confirmados ou negados”, prometeu. O arco de Danaerys vai continuar até ao fim da série, e a atriz vai parar por aí também. Garantiu que apenas vai fazer mais uma temporada (a oitava e final), e em princípio não estará envolvida em prequelas ou sequelas.

O que vem depois dos tronos

Começou a série com 23 anos, e desde aí tem passado cerca de sete meses por ano a acordar às três da manhã para preparar a maquilhagem e o cabelo. Depois da temporada final, esta rotina chega ao fim. “Deixa-me emocionada pensar nisto” refletiu, “foi a coisa que mais me mudou enquanto adulta.”

Emilia Clarke

Vai participar na prequela de Star Wars sobre a personagem Han Solo, que estreia no próximo ano. Sobre a mulher que vai interpretar disse apenas que “ela é fantástica” e que não está autorizada a dizer mais nada. “Há um stormtrooper com uma arma que pode entrar a qualquer momento” se revelar mais.

Feminismo em Hollywood

A atriz britânica começou a sua carreira no teatro, mas tornou-se reconhecida mundialmente no pequeno ecrã. Descobriu a sua identidade dentro de Hollywood. “Sou uma mulher, e não há muitas de nós a representar na situação em que me encontro.”

Emilia Clarke

Para Emilia, ser mulher em Hollywood não é fácil, com a ainda existente desigualdade entre géneros. “Sinto-me ingénua por dizê-lo, mas é como lidar com racismo”, desabafou. “Estão a tratar-me de maneira diferente porque tenho um par de mamas?

Fortalecer as mulheres e dar-lhes confiança é uma das suas preocupações, e considera que a evolução da sua personagem contribui para isso. “As mulheres têm sido ótimas líderes”, notou. “Alguém que pense que não é necessário só tem de olhar para o ambiente político em que estamos a viver”, afirmou.

Sente que deve acompanhar a sua carreira com o desenvolvimento pessoal. “Tenho uma necessidade feroz de aprender coisas.” Este processo ajuda-a na construção da sua personagem. “Khaleesi tem algo extra este ano”, assegurou.

A sétima temporada de Game of Thrones começa a ser exibida no dia 17 de julho no canal Syfy.