Ultimamente, a indústria portuguesa de cinema tem regressado a alguns dos seus maiores clássicos, atualizando-os para o público nacional moderno. É exemplo disso a trilogia de Novos Clássicos Portugueses iniciada por O Pátio das Cantigas em 2015. Apesar de financeiramente bem sucedidos, têm maioritariamente sido dizimados pela crítica. O Hollywood, tens cá disto? desta vez observa um remake feito muitos anos antes, mas que passou maioritariamente despercebido: O Lampião da Estrela, com Herman José.

“Eu acho que nada neste filme é inocente.”

Tal como o nome indica, esta é uma obra inspirada por O Leão da Estrela (1947). Mas apesar de ter uma premissa semelhante, Lampião não procura repetir o seu antecessor. Tal como Anastácio, interpretado no original por António Silva, Carlos Santos de Herman José é o clássico português aproveitador.

É alguém que mente e persegue esquemas complicados para manter a mentira. Apesar de os filmes nunca os punirem da forma que provavelmente mereceriam, são personagens que sacrificam tanto pelos seus objetivos que a certa altura já se está a desejar que sejam bem sucedidos nas suas burlas. Se a mentira em Leão era a de um homem que fingia ser mais rico do que era na verdade, Lampião foca-se no que provavelmente mexe mais com o espírito de um português: o futebol.

O filme foca-se em Carlos Santos, um gestor de futebol obcecado pelo Benfica. De modo a passar dois jogadores moçambicanos que lhe parecem ter pouco potencial para o Porto, Santos fará o maior sacrifício de todos: fingir que é adepto do Porto. Assim, torna-se amigo de Borges Pinto (Henrique Viana), um gestor bem-sucedido desse clube e viaja até ao Porto para poder finalizar o negócio.

Herman José faz uma excelente interpretação e sempre que a sua personagem tem de agir como um adepto do seu clube rival, a sua dor interior é percetível. A especialidade do ator está sem dúvida em entreter, e a sua performance não procura ser subtil, deixando a audiência compreender as suas emoções interiores, mesmo quando as personagens à sua volta não o conseguem fazer.

No entanto, nem tudo no filme é positivo. Para além de ser muito previsível, há ainda um triângulo amoroso entre as duas filhas de Carlos Santos e André (Marco Horácio), o filho de Borges Pinto. As três personagens, bem como o romance, são um cliché.

Cristina (Catarina Furtado) é a irmã sedutora que até à data tinha conseguido todos os homens que queria, e que agora se interessa por André devido a este ser rico. Por outro lado, Vera (Alda Gomes) é mais tímida e focada nos estudos, mas realmente está apaixonada pelo filho de Borges Pinto. A rota desta história é previsível, e apesar de os atores conseguirem canalizar bem as suas personagens (que de complexo têm muito pouco), este é um elemento do argumento que precisava de ter sido melhor desenvolvido.

Os três atores sabem o tipo de performance que devem fazer e o ligeiro exagero das suas ações funciona dentro do estilo exagerado de todo o filme. No entanto, o argumento podia-lhes ter dado mais com que trabalhar.

Apesar de ter sido uma produção feita para a televisão, não chegando ao grande ecrã, todos os aspetos técnicos são impecáveis. Há um completo controle sobre o movimento da câmara e a edição é muito dinâmica. A complementar o seu estilo cómico está uma paleta de cores forte e variada. As músicas usadas também complementam bem a história, sendo até manipuladas dependendo da situação. É uma pena que o filme não tenha ainda recebido um lançamento para DVD ou Blu-Ray. Tal como aconteceu com Adeus, Pai (1996), a má qualidade das versões disponibilizadas ao público não faz jus à qualidade da Fotografia.

O Lampião da Estrela não é propriamente uma das melhores obras do cinema português, no entanto, procura acima de tudo entreter. Tal como acontecia com os clássicos da “época de ouro” do cinema português, Lampião retira uma realidade do quotidiano do seu país (neste caso a paixão pelo futebol) e exagera-a para fazer uma história direcionada ao povo. Acima de tudo, é uma obra feita com muita paixão.

Ficha Técnica

Título: O Lampião da Estrela
Realizador: Diamantino Ferreira
Argumento: Henrique Cardoso DiasEduardo Madeira
Elenco: Herman JoséHenrique VianaMarco HorácioCatarina FurtadoAlda Gomes
Género: Comédia
Duração: 99 minutos

6/10